16:20 19 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    O navio de projeto 22800

    Estaleiros da Crimeia vão construir novo navio de guerra

    © Foto / Almaz Central Marine Design Bureau
    Mundo
    URL curta
    1421
    Nos siga no

    A corveta do projeto 22800 de nova geração começará a ser construída este mês no estaleiro da cidade de Feodosia, Crimeia, disse o ministro da Defesa russo.

    Segundo o ministro, a cerimônia de início de produção do navio será realizada no dia 10 de maio.

    "O início da produção do navio ligeiro porta-mísseis de nova geração começará no estaleiro de construção naval More, em Feodosia, no dia 10 de maio. Por decreto do comandante da Marinha, o navio foi batizado com o nome de Shtorm. Na cerimônia participarão oficiais da Marinha", disse o ministro na declaração.

    Em janeiro de 2015, a Marinha russa declarou que em 2016 começaria a construção de dois navios do projeto 22800 e de 13 outros vasos de guerra.

    Os navios de projeto 22800 foram elaborados de acordo com as exigências das tripulações, disse o porta-voz do ministério.

    "As exigências foram as seguintes: alta capacidade de manobra, maior velocidade de navegação, desenho do casco feito com base em tecnologia "stealth". O navio pode realizar missões a uma distância de até 3.000 milhas", acrescentou.

    A construção das duas primeiras corvetas do Projeto 22800, Uragan e Taifun, começou no estaleiro de São Petersburgo, no dia 24 de dezembro. Estes dois navios, que deverão ser incorporados na Marinha em 2017-2018, serão dotados de mísseis de alta precisão e avançados sistemas de artilharia. Eles têm um deslocamento de 800 toneladas e uma velocidade máxima superior a 30 nós.

    Mais:

    Novo navio de guerra russo está quase pronto
    Navio russo começa a abastecer base argentina na Antártida
    Navio russo Almirante Vladimirsky chega à Antártida
    Tags:
    corveta, navio de mísseis, navio de guerra, Ministério da Defesa (Rússia), Marinha da Rússia, Feodosia, Crimeia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar