05:10 16 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Incêndio no edifício da Casa dos Sindicatos de Odessa

    Ativistas de direitos humanos dos EUA vão a Odessa

    © Foto / Odessa-media
    Mundo
    URL curta
    252
    Nos siga no

    Os representantes da Coalizão Nacional Unida Antiguerra (UNAC, na sigla inglesa) vão visitar Odessa em antecipação do segundo aniversário da tragédia de 2 de maio, quando dezenas de pessoas foram queimadas vivas em um prédio.

    Um grupo de defensores dos direitos humanos dos EUA visitará Odessa em antecipação do segundo aniversário da tragédia de 2 de maio, para evitar ataques contra os que participarem nos eventos comemorativos. A iniciativa da viagem pertence à coalizão americana antimilitarista UNAC, que realizou a coleta de assinaturas para uma petição à ONU, apelando a investigar a tragédia.

    "Nós sabemos que o regimento Azov foi enviado a Odessa. Nós, juntamente com nossos amigos de Odessa e representantes dos outros países, fazemos todo o possível para que todos fiquem seguros", informou um dos líderes da UNAC, Joe Lombardo.

    Recentemente, foi informado que uma unidade do regimento Azov deverá ir a Odessa para realizar exercícios de "deteção e neutralização de grupos terroristas". Segundo a informação, "o regimento Azov está pronto a participar na defesa da ordem pública se for necessário".

    Em 2 de maio de 2014, dezenas de ativistas do movimento de protesto contra o golpe ocorrido em Kiev e o novo governo pró-europeu da Ucrânia morreram no edifício da Casa dos Sindicatos de Odessa, que supostamente teria sido incendiada por extremistas radicais do Setor de Direita e seus cúmplices. Segundo os dados oficiais, a tragédia causou 48 mortes e mais de 250 feridos.

    Mais:

    EUA: Ucrânia fracassou na investigação sobre tragédia de Odessa
    Tags:
    incêndio, tragédia, Regimento Azov, Ucrânia, Odessa
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar