18:00 28 Março 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    252
    Nos siga no

    Os representantes da Coalizão Nacional Unida Antiguerra (UNAC, na sigla inglesa) vão visitar Odessa em antecipação do segundo aniversário da tragédia de 2 de maio, quando dezenas de pessoas foram queimadas vivas em um prédio.

    Um grupo de defensores dos direitos humanos dos EUA visitará Odessa em antecipação do segundo aniversário da tragédia de 2 de maio, para evitar ataques contra os que participarem nos eventos comemorativos. A iniciativa da viagem pertence à coalizão americana antimilitarista UNAC, que realizou a coleta de assinaturas para uma petição à ONU, apelando a investigar a tragédia.

    "Nós sabemos que o regimento Azov foi enviado a Odessa. Nós, juntamente com nossos amigos de Odessa e representantes dos outros países, fazemos todo o possível para que todos fiquem seguros", informou um dos líderes da UNAC, Joe Lombardo.

    Recentemente, foi informado que uma unidade do regimento Azov deverá ir a Odessa para realizar exercícios de "deteção e neutralização de grupos terroristas". Segundo a informação, "o regimento Azov está pronto a participar na defesa da ordem pública se for necessário".

    Em 2 de maio de 2014, dezenas de ativistas do movimento de protesto contra o golpe ocorrido em Kiev e o novo governo pró-europeu da Ucrânia morreram no edifício da Casa dos Sindicatos de Odessa, que supostamente teria sido incendiada por extremistas radicais do Setor de Direita e seus cúmplices. Segundo os dados oficiais, a tragédia causou 48 mortes e mais de 250 feridos.

    Mais:

    EUA: Ucrânia fracassou na investigação sobre tragédia de Odessa
    Tags:
    incêndio, tragédia, Regimento Azov, Ucrânia, Odessa
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar