00:32 18 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Militares norte-americanos

    Congressista: Novas forças dos EUA devem combater Daesh, não Assad

    © AFP 2019 / ALI AL-SAADI
    Mundo
    URL curta
    504
    Nos siga no

    As forças adicionais dos EUA, mobilizadas para irem à Síria, devem combater o Daesh, sem se engajar em nenhuma guerra paralela contra o presidente sírio Bashar Assad, disse a congressista Tulsi Gabbard à Sputnik.

    Gabbard criticou a aliança dos EUA com rebeldes moderados na Síria, caracterizando-a como “completamente ligada” com as organizações terroristas Frente al-Nusra e a Al-Qaeda.

    “Há duas guerras que os EUA estão conduzindo na Síria. Uma é a guerra para derrubar o governo sírio de Assad, e outra é para derrotar o Daesh”, disse Gabbard na quarta-feira.

    Gabbard declarou que ela apoia a decisão de Obama a mobilizar forças adicionais se estas se associarem com as forças curdas no norte da Síria para derrotar o Daesh.

    “Se elas vão trabalhar com a assim chamada oposição moderada, que luta para derrubar Assad, neste caso elas não devem fazer isso”, destacou a congressista. “Elas não devem ficar lá se a missão for isso”.

    Mais cedo nesta semana, o presidente Barack Obama ordenou enviar forças adicionais à Síria para apoiar as forças regionais na sua luta contra o Daesh.

    “Treinando e prestando assistência aos rebeldes jihadistas na Síria é absolutamente prejudicial, enfraquecendo a guerra que deve estar em nosso foco, isto é a combater o Daesh, a Al-Qaeda e outros grupos islamistas extremistas”, afirmou ela.

    Mais:

    EUA não querem incluir Ahrar al-Sham e Yeish al-Islam na lista de grupos terroristas
    Tags:
    guerra, Frente al-Nusra, Al-Qaeda, Daesh, Barack Obama, Síria, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar