23:31 30 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    0 02
    Nos siga no

    O Parlamento austríaco aprovou, nesta quarta-feira (27), uma lei mais dura para lidar com imigrantes e refugiados que chegam ao país, informou Agência Brasil.

    As autoridades poderão instaurar estado de emergência, caso o número de pedidos de asilo aumente muito e represente ameaça à segurança nacional.

    Nesse caso, os solicitantes de asilo, mesmo de países em guerra, como a Síria, poderão ser rejeitados logo na fronteira. Apenas casos de extrema vulnerabilidade, como os de mulheres com crianças e de quem conseguir provar, de fato, que está sendo perseguido, darão direito a refúgio no país.

    Pela lei aprovada, o estado de emergência será válido por seis meses e poderá ser estendido três vezes. Outras mudanças são a limitação do tempo em que um refugiado poderá viver na Áustria e a criação de dificuldades para a reunião familiar.

    A justificativa dada pelo ministro do Interior, Wolfgang Sobotka, é que o país não tem outra escolha enquanto os demais membros da União Europeia não fizerem sua parte para conter o fluxo de pessoas. No ano passado, a Áustria foi um dos países que mais receberam refugiados proporcionalmente à população – houve 90 mil solicitações de asilo.

    Mais:

    Noruega oferece 'prêmio' para refugiados que deixarem o país
    Militares turcos continuam matando refugiados na fronteira com a Síria
    Mais austeridade e o dobro de refugiados para Portugal?
    A crise que abalou o mundo: há um ano que chegam ondas de refugiados à Europa
    Tags:
    crise de imigrantes, imigração, refugiados, Wolfgang Sobotka, Europa, União Europeia, Áustria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar