04:38 07 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Caça norte-americano F-22

    Presidente da Lituânia admite presença de F-22 dos EUA no país

    © AFP 2019 / Steven R. SCHAEFER
    Mundo
    URL curta
    2120
    Nos siga no

    De 300 a 800 soldados adicionais podem ser deslocados como contingente de um batalhão de tropas aliadas na Letônia, pelo menos é o que a presidente da Lituânia, Dalia Grybauskaite, gostaria que acontecesse.

    A respectiva informação foi divulgada pela chefe de Estado durante o seu discurso realizado nesta quarta-feira (27) na base aérea perto da cidade de Siauliai.

    “Eu acho que a presença adicional militar aqui é muito possível – um batalhão em todos os países bálticos”, declarou Grybauskaite a jornalistas.

    Dalia Grybauskaite - a presidente da Lituânia
    © AFP 2019 / JOHN THYS
    Dalia Grybauskaite - a presidente da Lituânia
    Cabe mencionar que a mídia local já tinha informado, sem citar fontes, sobre a chegada de dois caças F-22 da Força Aérea dos EUA à mesma base. O acontecimento não foi oficialmente anunciado, nem houve muita informação sobre o evento. Algumas horas depois, os caças retornaram à sua base permanente na Grã-Bretanha, divulgou o site vz.lt.

    Ainda de acordo com a líder lituana, a presença dos F-22 na Lituânia significa uma prova clara da solidariedade dos EUA e da OTAN frente à alegada “ameaça russa”.

    De acordo com o mesmo site, as declarações foram feitas na presença do ministro da Defesa, Juozas Olekas, e de outros altos funcionários da Lituânia.

    Além disso, edições lituanas foram notificadas de um pedido de não divulgar informações sobre o tema.

    No ano passado, os chefes das Forças Armadas da região do Báltico pediram alocar em cada um dos países um batalhão de tropas aliadas, que contaria com a presença de 300 a 800 soldados.

    Tags:
    caça, F-22, OTAN, Dalia Grybauskaite, Lituânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar