10:25 08 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Líder da Coreia do Norte, Kim Jong Un, lidera teste de lançamento de míssil balístico feito por submarino

    Seul suspeita que Coreia do Norte possa lançar novo míssil balístico

    © REUTERS / KCNA
    Mundo
    URL curta
    110
    Nos siga no

    Segundo informações da Coreia do Sul, existe a possibilidade de a Coreia do Norte lançar um novo míssil balístico em breve.

    A Coreia do Norte estará se preparando para testar um novo míssil balístico de médio alcance, comunica a agência Yonhap citando uma fonte no governo da Coreia do Sul.

    “Há sinais de que a Coreia do Norte tenta lançar mais um míssil do tipo Musudan após o revés da primeira tentativa no dia de aniversário de Kim Il-sung (o primeiro presidente da Coreia do Norte)”- escreve a agência. 

    Segundo a fonte, o novo míssil está pronto para ser lançado de uma unidade móvel perto da cidade de Wonsan, na costa do Mar do Japão. 

    Como foi comunicado anteriormente, no dia 15 de abril o lançamento de um míssil balístico na Coreia do Norte foi abortado — o míssil explodiu segundos depois do início da operação. O lançamento foi realizado em honra da festa mais importante da Coreia do Norte — o dia de aniversário do líder do país. Seul acredita que este tipo de armamento pode atingir o Alasca. 

    O Conselho de Segurança das Nações Unidas proíbe a realização de testes de misseis balísticos na Coreia do Norte. Entretanto, Pyongyang não aceita tal proibição, afirmando existir uma ameaça por parte dos Estados Unidos e do governo da Coreia do Sul. 

    Em 23 de abril  Pyongyang lançou um míssil balístico a partir de um submarino no mar do Japão.

    Mais:

    EUA rastreiam possível lançamento de míssil da Coreia do Norte
    Coreia do Norte acusa EUA de ameaça nuclear
    Coreia do Norte pode ter retomado produção de plutônio
    Tags:
    mísseis balísticos, submarino, lançamento, míssil balístico, Kim Il-sung, Mar do Japão, Coreia do Sul, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar