18:19 18 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Ex-chefe da Yukos Mikhail Khodorkovsky

    Ex-chefe da Yukos pode vir a integrar lista de procurados da Interpol

    © Sputnik / Ramil Sitdikov
    Mundo
    URL curta
    0 61

    A Interpol recebeu um mandado de procura internacional do ex-chefe da empresa petrolífera Yukos, Mikhail Khodorkovsky, informou na segunda-feira o jornal RBC Daily. A polícia deve solicitar documentos adicionais relacionadas com o caso de Khodorkovsky ao lado russo.

    "A Interpol concordou em rever a sua posição quanto à colocação de Khodorkovsky no registro internacional de pessoas procuradas, com base no processo de assassinato do prefeito de Nefteyugansk. O lado russo foi instado a fornecer materiais adicionais relacionados com este processo", disse o interlocutor da agência.

    A fonte assinalou que o acordo foi alcançado depois de negociações entre o lado russo e os representantes da Interpol. “O lado russo assegurou que todos os documentos adicionais necessários serão enviados para França”, disse ele.

    O porta-voz de Mikhail Khodorkovsky, Kulle Pispanen, afirmou que as informações sobre uma possível revisão da posição da Interpol sobre o ex-chefe da Yukos são falsas.

    "Não é a primeira vez que o Comitê de Investigação russo divulga informações falsas para salvar as aparências de luta com Khodorkovsky", disse Pispanen à RBC.

    Anteriormente a Interpol recusou incluir Mikhail Khodorkovsky na lista de procurados, porque o estatuto da organização não permite intentar processos ligados a motivos “políticos, militares, religiosos ou racistas”.

    Desde 2003, Khodorkovsky esteve preso e cumpriu uma pena de 10 anos por corrupção, fraude contábil, sonegação de impostos e evasão de divisas. Em dezembro de 2013, o governo da Rússia o anistiou.

    O empresário russo vive atualmente fora da Rússia e, segundo a versão da investigação, quando era acionista e diretor da empresa Yukos, Khodorkovsky encarregou os seus funcionários Leonid Nevzlin e Aleksei Pichugin, além de outras pessoas, de matar o prefeito da cidade de Nefteyugansk, Vladimir Petukhov, e o empresário Evgueni Rybin.

    A Yukos foi uma das maiores empresas do mundo entre 1996 e 2003 e a maior da Rússia no setor de extração, transporte, refino e distribuição de petróleo.
    Em 2004, Khodorkovsky foi considerado o homem mais rico da Rússia e o 16º do mundo. Até ser preso, era considerado um dos mais poderosos oligarcas da Rússia.

    Mais:

    Interpol pode procurar sírios que fraudaram passaporte no Brasil
    Interpol tinha apresentado acusações contra terrorista envolvido em ataques em Paris
    Interpol tenta impedir leilão de quadro de pintor russo roubado há 18 anos
    Tags:
    Interpol, Yukos, Mikhail Khodorkovsky
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik