09:12 23 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Bandeira da Argentina

    Argentina começa a pagar US$ 9,3 bilhões aos fundos abutres

    © flickr.com/ Eduardo Amorim
    Mundo
    URL curta
    739233

    A Argentina começou a pagar nesta quinta-feira, 22, a primeira parcela aos fundos especulativos, os chamados fundos abutres, que cobravam na Justiça americana há anos o pagamento da dívida reestruturada em 2005 e 2010 a qual não aderiram. O pagamento de US$ 9,3 bilhões foi depositado no Banco de Nova York (Bony).

    Presidente da Argentina, Mauricio Macri, na cerimônia de inauguração de seu mandato na Casa Rosada, 10 de dezembro de 2015
    © AFP 2017/ JUAN MABROMATA
    Para efetuar esse desembolso, a Argentina foi obrigada a emitir na terça-feira US$ 16,5 bilhões em títulos no mercado internacional, os bonares, na maior emissão feita pelos país em mais de 16 anos. Apesar de começar a voltar ao mercado externo, o país ainda assim foi obrigado a pagar taxa de juros média de 7,14% pelos papeis que têm prazo de resgate de cinco, dez e 20 anos. O percentual é bastante superior aos 4% pagos pela Bolívia na última emissão feita pelo país andino.

    Os US$ 7,2 bilhões restantes captados pela Argentina com o lançamento dos bonares irão recompor as reservas internacionais do Banco Central, hoje em torno dos US$ 27 bilhões, consideradas perigosamente baixas por diversos economistas. O subsecretário de Finanças, Santiago Bausili, explicou que da parte paga aos fundos especulativos US$ 6,2 milhões irão primeiramente para os investidores que assinaram o acordo com o Governo argentino antes de 29 de fevereiro. Os restantes US$ 3,1 bilhões serão depositados na conta do Bony para aqueles que firmaram o acordo após essa data.

    O ministro da Finanças, Alfonso Prat Gay, diz que com o início do pagamento aos fundos abutres o Governo poderá finalmente colocar em prática os planos para retomada do desenvolvimento nacional.  


    Mais:

    Argentina sai da moratória após 15 anos
    Argentina faz endividamento recorde no exterior para pagar a fundos abutres
    De Cuba à Argentina, países da América Latina repudiam golpe de Estado no Brasil
    Tags:
    governo, moratória, dívida, Mauricio Macri, Argentina
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik