07:20 15 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Terroristas na Síria

    Primeiro-ministro da Siria revela quem arma os terroristas

    © AFP 2019 / Fadi al-Halabi
    Mundo
    URL curta
    Síria depois de Palmira (73)
    15261
    Nos siga no

    A Arábia Saudita, a Turquia, o Qatar, a França e o Reino Unido tentam destruir a infraestrutura e a economia da Síria armando os terroristas, declarou o primeiro-ministro sírio, Wael Nader al-Halki, em uma entrevista à agência RIA Novosti.

    “Nós vemos que a Arábia Saudita, a Turquia, o Qatar e os países ocidentais não têm o real desejo de promover a pacificação na Síria; mas, pelo contrário, contribuem à escalação da atividade terrorista”, disse al-Halki.

    Segundo ele, durante a semana passada mais de 5.000 militantes atravessaram a fronteira turca para as províncias de Aleppo e de Idlib.

    “Mas graças às forças sírias, ao povo e às autoridades, encabeçadas pelo presidente Bashar Assad, bem como aos amigos, primeiramente à Rússia, e ao presidente Putin pessoalmente, nós atingimos o êxito. A nossa resistência organizada não permitiu fazer da Síria um perdedor. Lutamos contra o terrorismo mundial, onde seja que for na Síria. Primeiramente, contra a Frente al-Nusra e o Daesh”, destacou o chefe do Gabinete sírio.

    Desde 30 de setembro de 2015, a Força Aeroespacial da Rússia tem conduzido ataques aéreos exatos contra alvos do Daesh e da Frente al-Nusra (ambos os grupos são proibidos na Rússia) na Síria.

    Desde 27 de fevereiro o país fica sob o regime de cessar-fogo. Embora a maior parte do contingente russo já estiver retirada, os aviões e helicópteros restantes continuam assestando golpes contra posições dos terroristas.

    Tema:
    Síria depois de Palmira (73)

    Mais:

    Frente al-Nusra continua atacando o exército regular da Síria
    Parlamento britânico: ações do Daesh na Síria são genocídio
    Putin e Obama concordam em garantir solidez do cessar-fogo na Síria
    Tags:
    terroristas, ataque, armas, Frente al-Nusra, Daesh, Vladimir Putin, Arábia Saudita, Turquia, Qatar, França, Rússia, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar