09:58 13 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    38526
    Nos siga no

    O pré-candidato à presidência norte-americana pelo Partido Democrata, Bernie Sanders, declarou que a política de intervenção dos EUA na América Latina deve chegar ao fim.

    "Temos que ser honestos. A história dos Estados Unidos em relação à América Latina foi a de uma nação poderosa, com o exército mais forte do mundo, dizendo: 'Não gostamos deste governo, vamos derrubá-lo'", afirmou o democrata. 

    Segundo Sanders, deve se iniciar um período baseado no “respeito mútuo”, ressaltando que os golpes de Estado resultaram em "caos" e "massacres". 

    "Os Estados Unidos não podem continuar intervindo na América Latina e derrubando governos ou tentando desestabilizá-los por razões econômicas", acrescentou o pré-candidato em vídeo divulgado na internet. 

    No vídeo, em que Sanders conversa com o vocalista do grupo porto-riquenho Calle 13, René Pérez, o democrata disse ser o único com uma visão das relações diplomáticas com a América Latina diferente da que imperou nas últimas décadas. 

    “Não é um segredo que Allende foi derrubado pela CIA e que após isso surgiu um governo neofascista que foi responsável pelo assassinato de milhares de pessoas. Isso é inaceitável", observou o senador de Vermont, ao comentar a intervenção norte-americana no golpe militar chileno. 

    Bernie Sanders concorre com a ex-secretária de Estado, Hillary Clinton, a disputa pela candidatura democrata. Nesta terça-feira (19) os dois se enfrentam nas primárias de Nova Iorque.

    Mais:

    'Superterça': Bernie Sanders levanta US$6 milhões em um dia de doações individuais
    Bernie Sanders aparece à frente de Hillary em pesquisa em New Hampshire
    Obama: os tempos de intervenção dos EUA na América Latina estão no passado
    Tags:
    intervenção, golpe, eleições, Democratas, Hillary Clinton, Bernie Sanders, América Latina, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar