11:19 18 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Militares nos exercícios conjuntos da Organização do Tratado da Segurança Coletiva

    Bielorrússia vira as costas a aliados apesar de protestos armênios

    © Sputnik / Sergey Kuznetsov
    Mundo
    URL curta
    10312
    Nos siga no

    O Parlamento da Bielorrússia promulgou a nova doutrina militar que mostra a intenção do país de se afastar do cumprimento das suas obrigações no âmbito da Organização do Tratado de Segurança Coletiva (OTSC).

    Na segunda-feira, o Parlamento bielorrusso discutiu a nova doutrina militar do país, proibindo as Forças Armadas de participar em operações militares no estrangeiro.

    Estas decisões enfrentaram os protestos do lado armênio, um país aliado da Bielorrússia na OTSC.

    O vice-chanceler da Armênia, Shavarsh Kocharyan, julga que a nova doutrina militar bielorrussa pode provocar tensão no interior da OTSC.

    “Nossa doutrina militar é somente defensiva. Nós nunca vamos combater no território de um outro país porque aprovámos uma doutrina militar defensiva”, replicou o presidente bielorrusso Aleksandr Lukashenko.

    Lukashenko se referiu ao conflito na Ucrânia para justificar as alterações na doutrina militar nacional. “Nunca haverá nenhuma ameaça para Ucrânia do nosso lado, do nosso território. Nós seguimos uma política da paz e tentaremos fazer tudo o que possível para resolver a crise na Ucrânia”.

    Mas os outros países-membros da Organização do Tratado de Segurança Coletiva, incluindo a Rússia, Armênia, o Cazaquistão, Quirguistão e Tajiquistão não estão solidários com a interpretação da doutrina do governo da Bielorrússia, considerando que é uma tentativa de escapar ao cumprimento das suas obrigações no âmbito da aliança militar.

    Estes receios são especialmente justificados tendo em conta o conflito em Nagorno-Karabakh entre a Armênia e o Azerbaijão, apoiado pela Turquia. Nagorno-Karabakh formalmente faz parte do Azerbaijão, mas é uma região habitada principalmente por armênios. Na prática, o território é uma província com governo próprio, mas sem reconhecimento da comunidade internacional.

    No entanto, nas últimas semanas, o Azerbaijão ameaçou, com o apoio da Turquia, a usar suas Forças armadas contra a Arménia para conquistar o território. O Presidente turco Recep Tayyip Erdogan prometeu apoiar o Azerbaijão, e declarou que “o território vai, inevitavelmente, voltar para o Azerbaijão".

    Mais:

    Bielorrússia está aberta à cooperação com OTAN e EUA
    Bielorrússia não quer escolher entre Rússia e Ocidente
    UE levanta formalmente as sanções contra a Bielorrússia
    Tags:
    doutrina militar, Organização do Tratado de Segurança Coletiva (OTSC), Aleksandr Lukashenko, Nagorno-Karabakh, Bielorrússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar