11:04 25 Junho 2018
Ouvir Rádio
    Presidente da Bolívia, Evo Morales, e presidente da Venezuela, Nicolás Maduro

    Presidentes da Venezuela e Bolívia questionam a legalidade do impeachment

    © REUTERS / David Mercado
    Mundo
    URL curta
    Pedido de impeachment de Dilma Rousseff (132)
    63810

    O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, e da Bolívia, Evo Morales, declararam apoio à presidenta Dilma Rousseff após decisão da Câmara dos Deputados de abertura do processo de impeachment na Câmara dos Deputados neste domingo (17), informou Agência Brasil.

    Em sua conta no Twitter, Maduro questionou a legalidade do processo aprovado. O presidente acusou a oposição brasileira de atuar a mando dos EUA.

    “A direita do continente desconhece a Soberania Popular. Pretendem que desapareçamos? Alerta, alerta que caminha”, escreveu o presidente venezuelano. 

    Também via Twitter, o presidente boliviano, Evo Morales, criticou a abertura do processo de impeachment de Dilma. Ele classificou a votação de domingo de golpe. “Não ao golpe no Congresso. Defendamos a democracia do Brasil, sua liderança regional e a estabilidade da América Latina”.

    ​O plenário da Câmara dos Deputados aprovou, em sessão especial neste domingo, 17 de abril, o envio ao Senado Federal do resultado da votação extraordinária ocorrida neste dia.Os parlamentares impuseram à Presidente Dilma Rousseff a primeira derrota no  procedimento de impeachment. 367 parlamentares votaram a favor do prosseguimento do processo no Senado enquanto 137 votaram a favor da Presidente. 7 deputados se abstiveram de votar e duas ausências foram registradas.

    Tema:
    Pedido de impeachment de Dilma Rousseff (132)

    Mais:

    'Dilma não se curvará ao golpe', anuncia advogado-geral da União
    Deputado Paulo Pimenta: golpe contra a Presidenta Dilma Rousseff se confirmou no domingo
    Imprensa internacional dá grande destaque à autorização do impeachment de Dilma
    Tags:
    impeachment, Twitter, Dilma Rousseff, Evo Morales, Nicolás Maduro, Bolívia, Venezuela, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik