05:58 23 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Uma mulher passa por um edifício que foi danificado durante confrontos entre forças de segurança turcas e militantes curdos, na cidade do sudeste de Silvan, na província de Diyarbakir, Turquia, 7 de dezembro de 2015. Foto tirada em 7 de dezembro de 2015. REUTERS / Murad Sezer

    Forças turcas matam civis curdos na Síria

    © REUTERS / Murad Sezer
    Mundo
    URL curta
    2012

    A guerra do governo turco contra os militantes do PKK (Partido dos Trabalhadores do Curdistão, na sigla inglesa) no sudoeste do país se transformou em repressão contra os civis curdos não só na Turquia, mas também fora das fronteiras, na Síria, informa o canal televisivo RT.

    Os civis curdos que vivem no norte da Síria são regularmente atacados pelas forças turcas que lutam contra o PKK. As pessoas estão sofrendo diariamente bombardeiros na fronteira.

    “Pelo menos duas pessoas, incluindo uma criança, foram mortas na cidade de Qamishli em resultado do bombardeio que continua desde março… Em média mais de 10 projéteis de artilharia atingem Qamishli todos os dias”, informou o RT citando um jornalista que está no local, Akram Barkat.

    O jornalista conseguiu obter a informação da cidade de Qamishli, que se situa a cerca de 200 metros da posição das forças turcas.

    “Eu fui à parada e depois ouvi uma explosão. Parei e percebi que havia sido atingida. Depois acordei no hospital”, disse Fatima Fattouche, residente em Qamishli, ao RT.

    As tensões entre Ancara e os curdos escalaram em julho de 2015, com o reinício da luta entre o PKK, considerado terrorista por Ancara, e as forças turcas. Ancara introduziu a hora do recolher obrigatório em algumas cidades com a população curda, para evitar a fuga das regiões sob a operação militar.

    No mês passado, outro jornalista do RT, William Whiteman, conseguiu se infiltrar e obter um vídeo exclusivo da cidade de Cizre, ocupada pelas forças turcas, revelando as inúmeras atrocidades da operação militar de Ancara no Curdistão turco.

    “Todos os edifícios tinham buracos de balas. Quando viramos a esquina, eu vi ruínas em toda a rua onde as crianças estavam jogando…Entrei no primeiro edifício. Havia uma sala toda cheia de balas com sangue no soalho. Os habitantes locais me disseram que isto era o lugar onde as tropas da milícia curda tinham sido executadas”, disse Whiteman.
    Depois, o jornalista disse que ele tinha visitado um porão onde 50 pessoas vivas tinham sido queimadas. Entretanto, as forças turcas removeram todos os corpos para esconder o fato.

    De acordo com Ancara, durante a operação foram liquidados mais de 1.000 terroristas. Ao mesmo tempo, os habitantes locais dizem que 500-600 civis foram matados em Cizre.

    “Penso que as mil pessoas foram mortas no sudeste da Turquia durante a operação. Às vezes as forças turcas são muito brutais. Eles introduzem o recolher obrigatório e depois bombardeiam com artilharia pesada. No porão de um edifício foram queimadas 150 pessoas”, disse o jornalista.

    A Síria não é o único país cujos residentes têm sido bombardeados pelas forças da Turquia. Em março, a Forças Aérea turca enviou seis caças para bombardear as aldeias do norte do Iraque, por suspeitar que os membros do PKK estivessem escondidos nesta zona.

    Tags:
    repressão, forças, curdos, RT, Síria, Turquia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik