12:09 25 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    351
    Nos siga no

    Antes da visita, a chancelaria russa informava que Sergei Lavrov esperava realizar um encontro com o seu homologo japonês Fumio Kishida para discutir um leque de assuntos que abrange problemas internacionais e a coordenação de ações dos países a respeito desses problemas.

    O encontro já se realizou nesta sexta (15).

    Primeiro-ministro do Japão Shinzo Abe
    © AP Photo / Shizuo Kambayashi
    Além dos problemas mencionados, Lavrov e Kishida discutiram várias questões de segurança, inclusive a cibersegurança, o combate ao terrorismo e a arquitetura de segurança na região Ásia-Pacífico. Os ministros trocaram as opiniões sobre os assuntos do Médio Oriente e da península da Coreia.

    A Rússia e o Japão ainda não assinaram um acordo formal de paz desde a Segunda Guerra Mundial. Mais cedo, o chefe do Gabinete japonês, Yoshihide Suga, expressava a esperança de que este assunto seja discutido no final da semana em curso.

    Este encontro preparou a base para um contato a um nível maior, tal como foi acordado pelos lideres de dois países: o presidente russo Vladimir Putin e o primeiro-ministro japonês Shinzo Abe.

    A esperança do ministro das Relações Exteriores russo era que o encontro contribuísse para o reforço dos laços econômicos entre ambos os Estados que se deterioraram depois de Tóquio ter anunciado o seu apoio às sanções econômicas contra a Rússia que foram impostas depois da intervenção de Moscou no conflito no Leste da Ucrânia.

    Em resultado do encontro o ministro japonês frisou que Moscou e Tóquio iriam continuar o dialogo. "No que diz respeito às negociações de paz que estamos realizando sob a indicação dos nossos lideres, chegamos a um acordo que iríamos realizar a negociação deste assunto mais cedo possível logo depois da visita do nosso primeiro-ministro à Rússia", disse Kishida.

    O obstáculo principal para a regulação das relações entre a Rússia e o Japão é a disputa pelas ilhas Curilas, que depois da Segunda Guerra Mundial foram incluídas no território da União Soviética, mas a pertinência delas está sendo disputada pelo Japão.

    Mais:

    Japão agradece à Rússia por ajuda pós-tsunami
    Japão se manifesta contra base russa nas ilhas Curilas
    Japão: 2016 é ano de progresso nas relações com Rússia
    Tags:
    acordo de paz, Chancelaria, Fumio Kishida, Shinzo Abe, Sergei Lavrov, Vladimir Putin, Ilhas Curilas, Japão, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar