01:12 17 Julho 2018
Ouvir Rádio
    Sede do Fundo Monetário Internacional (FMI)

    China, Brasil e Rússia prejudicaram o crescimento dos emergentes, diz FMI

    © flickr.com/ International Monetary Fund
    Mundo
    URL curta
    7419

    Queda no crescimento da China e a recessão no Brasil e na Rússia foram apontados nesta quinta-feira pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) como causas do baixo crescimento global das economias emergentes.

    Em coletiva de imprensa durante a abertura dos encontros de primavera do FMI e do Banco Mundial, a diretora do Fundo, Christine Lagarde, chamou a atenção para a adoção de uma agenda de política global, destinada a propiciar o retorno do crescimento. Segundo Christine Lagarde, a economia global está se expandindo moderadamente mas a perspectiva se enfraqueceu ainda mais desde outubro do ano passado e, para piorar, “os riscos têm aumentado”.

    Segundo Lagarde, não é apenas o crescimento lento, durante tanto tempo, que tem prejudicado os países. Para a diretora, o que prejudica os países é o conjunto de fatos decorrentes do baixo crescimento, que produz o aumento de riscos para as economias. A solução do problema residiria, segundo a diretora do FMI, na ação dos governos para elevar os padrões de vida, reduzir o desemprego e recuperar os níveis de dívidas internas e externas adequadas para cada país.

    Christine Lagarde, comemorou de forma cautelosa alguma melhoria nos preços do petróleo. Outro fato positivo mencionado pela diretora do Fundo seria a redução de pressões especulativas do mercado financeiro sobre a China. Se esses fatos forem consistentes, segundo Lagarde, a economia global pode voltar a uma rota mais forte e segura, informou Agência Brasil.

    Mais:

    Brasil confirma apoio à recondução de Christine Lagarde na direção do FMI
    FMI: Chance de Brasil voltar a crescer em 2017 vai depender de solução política
    Diretor do FMI, exclusivo: ‘Risco de piora na economia mundial não pode ser desprezado’
    FMI: economia global está perto da falência
    Tags:
    economia, economia mundial, FMI, Christine Lagarde, China, Rússia, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik