17:30 16 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Christine Lagarde na segunda reunião de trabalho da cimeira do G20

    FMI: saída da Grã-Bretanha da UE pode influenciar negativamente o crescimento global

    Host Photo Agency
    Mundo
    URL curta
    221

    A saída da Grã-Bretanha da União Europeia pode refletir de modo negativo no crescimento regional e global, informou durante um coletiva de imprensa, no âmbito da reunião de primavera do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do Banco Mundial em Washington, a diretora do FMI, Christine Lagarde.

    “Elevamos a nossa avaliação dos  riscos relacionados com o crescimento global. Entre outros motivos, os temores referentes à saída da Grã-Bretanha da Zona do Euro causam preocupações”, disse Lagarde. 

    Durante uma outra coletiva de imprensa, no mesmo dia, o presidente do Banco Mundial, Jim Yong Kim, exortou Grã-Bretanha a permanecer na UE. Lagarde fez coro ao seu colega e comparou as relações da UE e da Grã-Bretanha com um casamento, que sofre altos e baixos. “Apesar disso, é preciso continuar trabalhando”, resumiu a diretora do FMI. 

    O referendo sobre a permanência ou saída da Grã-Bretanha na UE será realizado em 23 de junho deste ano. A pregunta a ser respondida pelos britânicos no evento, que jé está sendo chamado de principal decisão estratégica de uma geração, é a seguinte: “Deve a Grã-Bretanha permanecer como membro da União Europeia, ou deve deixar a União Europeia?”.

    Mais:

    Europa rachada: Após britânicos, franceses também querem referendo sobre adesão à UE
    Brexit pode desencadear efeito dominó na República Tcheca, alerta premiê
    Cresce o apoio popular à saída do Reino Unido da UE
    Grã-Bretanha faz quatro exigências para continuar na UE
    Tags:
    referendo, economia, Jim Yong Kim, Christine Lagarde, UE, Grã-Bretanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik