02:51 19 Fevereiro 2018
Ouvir Rádio
    Caça F-15E Strike Eagle dos EUA na base aérea de Incirlik, Adana, Turquia

    Tensão entre EUA e Turquia cresce devido a possível fechamento de base aérea

    © flickr.com/ U.S. Department of Defense
    Mundo
    URL curta
    21314

    A recusa de Washington em tomar medidas contra o Partido da União Democrática Curda (PYD), designado como grupo terrorista pela Turquia, pode fazer com que Ancara fecha a base aérea de Incirlik aos EUA.

    A notícia, revelada por um conselheiro do presidente turco, vem à tona durante o aumento da tensão entre Washington e Ancara devido ao apoio americano às forças curdas combatendo na Síria.

    No fim de março,  Presidente Obama recusou o pedido do de Recep Tayyip Erdogan, presidente da Turquia, para participar de um evento conjunto durante uma cúpula nuclear em Washington. 

    A medida para fechar a base aérea de Incirlik teria várias consequências para o governo turco, diz um artigo do jornal turco Yeni Cag.

    A Turquia enfatiza há algum tempo que o PYD seria um braço sírio do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), que é classificado como organização terrorista por várias organizações internacionais e países — inclusive os EUA.

    Entretanto, isso não impede Washington de apoiar combatentes curdos do PYK na luta contra ao Daesh na Síria.

    A Turquia abriu a base aérea de Incirlik a seus aliados na luta contra o Daesh. Ao mesmo tempo, a Turquia planejava intensificar sua luta contra o PKK, mas o apoio americano às forças curdas na Síria forçou Ancara a testar o comprometimento de Washington com a Turquia. O resultado é essa ameaça de fechar a base aérea aos americanos.

    Analistas presumem que o fechamento da base teria um grande impacto nas relações entre Turquia e EUA. Além disso, teria efeito negativo tanto na luta contra o Daesh quanto no processo de paz na Síria.

    Além disso, os EUA poderiam desenvolver sua cooperação com as forças do PYD no norte do Iraque e criar novas bases na região, diz o artigo.

    Mais do que tudo isso, um “divórcio” entre Ancara e Washington deixaria a Turquia mais vulnerável a ameaças na região, enquanto os EUA encontrariam novas bases e instalações para posicionar suas tropas e armas.

    Como resultado, segundo o artigo, Ancara deveria repensar sua política em relação à Síria, que foi “equivocada desde o começo”.

    “Do ponto de vista dos interesses nacionais, seria razoável mudar o curso e concentrar na preservação da integridade territorial da Síria”, diz o texto.

    “Tal postura contribuiria para a normalização das relações com a Síria, ajudaria a resolver a crise de imigração e facilitaria a superação da crise com a Rússia”, concluiu o autor.


    Mais:

    Erdogan ameaça romper acordo sobre refugiados com UE
    Moscou adverte Erdogan sobre violação dos direitos humanos
    Obama finalmente se encontrou com Erdogan
    Erdogan propõe 'zona livre de terror' no norte da Síria para reassentar refugiados
    Erdogan diz que acordo comercial entre EUA e UE vai prejudicar a Turquia
    Tags:
    geopolítica, fechamento, tensão, curdos, base aérea, Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), Partido da União Democrática (PYD), Recep Tayyip Erdogan, Barack Obama, Incirlik, Turquia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik