03:02 24 Fevereiro 2018
Ouvir Rádio
    Caça Lockheed Martin F-35 da Força Aérea dos EUA

    Coronel americano: Força Aérea dos EUA precisa avançar se quiser manter supremacia

    © AP Photo/ LM Ottero
    Mundo
    URL curta
    22810

    O coronel norte-americano Alexus Grynkewich, chefe do estudo Air Superiority 2030, afirmou que a Força Aérea dos Estados Unidos precisa se preocupar em conquistar contínuos avanços, ainda que pequenos, em suas capacidades de combate se quiser permanecer no topo.

    "No passado, a Força Aérea pressionou por avanços tecnológicos geracionais equivalentes à transição dos celulares convencionais para os smartphones", disse Grynkewich através de um comunicado sobre os resultados do estudo. 

    "Ao invés disso, deveríamos perseguir avanços incrementais, como as atualizações providenciadas pelas novas e mais novas versões de smartphones, e continuar a melhorar ao longo do caminho, em vez de esperar por um salto tecnológico revolucionário". 

    De acordo com o documento, a recomendação é a de que Washington se concentre na rápida construção de protótipos e na experimentação com novas tecnologias à medida que os avanços ficarem disponíveis.

    A análise do estudo Air Superiority 2030 representa um mar de mudanças para projetos como o do problemático caça-bombardeiro F-35, que foi apresentado como um grande avanço tecnológico mas acabou se tornando um verdadeiro pesadelo para o orçamento militar dos EUA, marcado por uma série de atrasos e aumentos de preços exorbitantes. 

    Mais:

    Força Aérea dos EUA sofre com falta de pilotos
    Força Aérea americana perde 19 homens durante operação contra o Daesh
    EUA: Força Aérea inclui cinco caças F-35 em lista de US$ 7,2 bilhões
    Tags:
    tecnologia, F-35, Força Aérea, Alexus Grynkewich, Washington, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik