08:52 25 Junho 2018
Ouvir Rádio
    Hashim Thaci - o presidente do Kosovo

    Quem realmente é novo presidente de Kosovo?

    © AP Photo / Visar Kryeziu
    Mundo
    URL curta
    15515

    Nesta sexta-feira (8) o quarto presidente de Kosovo, Hashim Thaci, tomou posse em Pristina.

    Mais de 1.000 visitantes de 50 países, além dos diplomatas dos países que reconhecem Kosovo como um país independente, participaram da cerimônia na capital do Kosovo.

    Mas quem é o homem que desde agora chefia o Estado que nem o Brasil, nem a Rússia reconhecem?

    Hashim Thaci, o comandante do Exército de Libertação do Kosovo (ELK), considerado por muitos países, inclusive a Sérvia, como terrorista. Foto de arquivo de 1999.
    © AP Photo / Visar Kryeziu
    Hashim Thaci, o comandante do Exército de Libertação do Kosovo (ELK), considerado por muitos países, inclusive a Sérvia, como terrorista. Foto de arquivo de 1999.
    Ele é o homem que em 2008 declarou unilateralmente a independência do Kosovo da Sérvia.

    Ele é apelidado em sérvio de Zmija (“cobra” na tradução em português) por seu jeito de escapar de qualquer situação.

    No seu livro “A caça: eu e criminosos de guerra” (“La caccia: Io e i criminali di guerra” em italiano), Carla Del Ponte escreveu que Thaci tem envolvimento no comércio ilegal de órgãos. Nomeadamente, a autora diz que em 1999, cerca de 300 pessoas de origem não albanesa, muitas delas sérvias, foram sequestradas e transportadas para o norte da Albânia, onde os seus órgãos foram tirados e estes depois foram transferidos a hospitais em toda a Europa.

    Em 2004, a autora deste livro era promotora-geral do Tribunal Internacional para a ex-Yugoslávia (ICTY, na sigla em inglês) e apresentou um relatório sobre crimes dos assim chamados “transplantólogos negros”, quer dizer, aqueles médicos e políticos que estavam envolvidos no mercado negro de órgãos.

    Ainda em 2001, este documento foi dirigido à UNMIK (Missão Administrativa Interina das Nações Unidas no Kosovo), KFOR (sigla em sérvio, que significa a Força do Kosovo) e Tribunal de Haia.

    As cópias do relatório, baseado em declarações de testemunhas, só apareceram na mídia sérvia em 2010, mas mesmo assim só foram publicadas em inglês.

    Então Miodrag Novakovic, o redator-chefe da publicação online Srpski FBReporter traduziu o documento e a mídia sérvia explodiu com publicações, claro que não foi a estatal.

    Segundo Novakovic disse à Sputnik (então Voz da Rússia), a informação foi o resultado da investigação realizada por órgãos de inquérito. 

    “Mais tarde, a própria Carla del Ponte em uma entrevista com a imprensa italiana disse que o Haia, no seu trabalho foi guiado por interesses políticos, em vez de princípios de justiça, e naquele tempo a perseguição judicial de albaneses simplesmente foi proibida,” disse.

    OTAN
    © AP Photo / Virginia Mayo
    O dados recém-divulgados pelo WikiLeaks apresentam Thaci como o vendedor de armas, drogas, “mercadorias vives” e como um membro do grupo de Drenica (o mesmo nome da região do nascimento dele), famoso pelos vários crimes no território de Kosovo.

    Retornando-se à atualidade, cabe mencionar, que no momento só em papel existe o Tribunal especial de crimes militares do Exército de Libertação do Kosovo (ELK) em Pristina, mas é desconhecido se frente a esta entidade apresentará o presidente atual (que também é o ex-premiê e ex-vice-premiê e ex-chanceler).

    Tags:
    criminalidade, história, Hashem Thaci, Balcãs, Sérvia, Kosovo
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik