00:35 19 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    021
    Nos siga no

    Os países que bloqueiam o projeto da Rússia sobre a Síria no Conselho de Segurança da ONU, tentam frear o diálogo de paz, disse Assessor do Ministro da Reconciliação Nacional da Síria, Ahmad Munir Muhammad.

    Rússia apresentou ao Conselho de Segurança da ONU um projeto de declaração para imprensa, que encorajava garantir o caráter mais representativo possível do diálogo sobre a Síria na próxima rodada de negociações em Genebra. No entanto, o texto foi bloqueado pelos representantes dos países Ocidentais.

    "Os países europeus bloquearam o projeto russo nas Nações Unidas por este atrair os curdos para o diálogo, dando-lhes um obstáculo", disse o assessor do ministro.

    Ele observou que a decisão afeta toda a solução política e é uma tentativa de arrastar o país para as ações militares. 

    A guerra civil no país, iniciada em março de 2011, já resultou em mais de 4 de milhões de pessoas refugiadas e desalojadas, além de um número de mortos que, de acordo com a ONU, atinge 250 mil. No quadro deste conflito sangrento o governo do país luta contra facções de oposição e contra grupos islamistas radicais como o Daesh (também conhecido como “Estado Islâmico”) e a Frente al-Nusra.

    As negociações entre as partes envolvidas no conflito na Síria foram retomadas no dia 14 de março e ocorrem em Genebra. Ainda não aconteceram negociações diretas entre as delegações do governo e da oposição do país. A ONU confirmou que a próxima rodada das negociações terá início em 11 de abril.

    Mais:

    Líder da Frente al-Nusra é eliminado na Síria
    CS da ONU barrou projeto russo de declaração em apoio às negociações inclusivas na Síria
    Delegação da Federação do Curdistão do Norte da Síria não pôde vir a Moscou
    Militares ao redor do mundo destacam o heroísmo do ‘Rambo Russo’ na Síria
    Rússia apresentará à UNESCO proposta para restaurar cidade síria de Palmira
    Tags:
    Síria, Rússia, Conselho de Segurança da ONU, Estado Islâmico, Daesh, diálogo
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar