03:00 20 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Presidente da Ucrania Pyotr Poroshenko e primeiro-ministro do Japão Shinzo Abe  em Kiev

    Poroshenko ficará contente com qualquer investigação sobre offshore

    © REUTERS / Valentyn Ogirenko
    Mundo
    URL curta
    Panama Papers (31)
    301

    Os documentos da empresa jurídica panamenha Mossack Fonseca divulgados pelo jornal alemão Sueddeutsche Zeitung indicam que houve participação do presidente ucraniano, Pyotr Poroshenko, nas empresas offshore.

    Poroshenko declarou que não tem nenhuma conta oculta e adicionou que ficaria contente com qualquer investigação sobre atividade relacionada com uma empresa offshore.

    “Estaremos felizes com qualquer investigação”, disse ele em uma conferência em Tóquio (capital do Japão), onde está em visita oficial até 7 de abril.

    “É muito simples. Se houver alguma coisa para investigar, ficaremos felizes com isso”, notou Poroshenko, que insiste que não possui contas bancárias ocultas.

    “Esta situação é transparente”, sublinhou ele.

    A autenticidade dos documentos publicados ainda não foi confirmada por ninguém. A própria Mossack Fonseca declarou que se recusa a comprová-la.

    Entretanto, o site ucraniano Hromadske.tv promulgou uma investigação afirmando que Poroshenko criou uma empresa offshore nas ilhas Virgens e não informou sobre ela na sua declaração das receitas.

    Poroshenko tenta vender a sua empresa Roshen mas não encontra compradores.

    “Porque a minha empresa e o meu país estão em situação de guerra. Não há compradores. Pois uma parte dos ativos é capturada e fica na Rússia”, disse o presidente ucraniano.

    Segundo ele, a sua empresa é uma das mais transparentes no país.

    Mais cedo o líder da Ucrânia declarou que estava preparando reformas para tornar impossível usar empresas offshore no país.

    Tema:
    Panama Papers (31)
    Tags:
    offshore, primeiro-ministro, investigação, Pyotr Poroshenko, Japão, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar