11:01 09 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    9173
    Nos siga no

    O líder interino da Chechênia (uma república no sul da Rússia), Ramzan Kadyrov, irá aproveitar o convite do presidente sírio Bashar Assad para ir à Síria.

    “O presidente Assad já me convidou duas vezes… Mas não tenho tempo para ir… Quero muito visitá-lo”, disse Kadyrov durante uma entrevista à RIA Novosti.
    Ele acrescentou que esteve uma vez em Damasco antes da guerra.

    Kadyrov também falou sobre as características pessoais do presidente Assad. Segundo a sua opinião, o presidente sírio é um homem forte e, ao mesmo tempo, intelectual e diplomático, ao contrário ao ex-líder líbio, Muammar Kadhafi.

    De acordo com o líder da Chechênia, o principal erro do ex-presidente do Iraque Saddam Hussein e de Kadhafi foi eles não confiarem em ninguém.  

    “Eles não tinham em conta, não confiavam em ninguém. Nem nos seus amigos nem nos outros. Ele [Kadhafi] tinha medo das pessoas fortes, vi-as como concorrentes. Repelia-as, não dava a possibilidade de elas crescerem. Por isso, não havia nenhuma pessoa normal ao lado dele, quem o acompanhasse até o fim”, afirmou Ramzan Kadyrov.

    “Olhem para Assad – ele não é um guerreiro. Aparentemente, é um intelectual ou diplomata. O seu país está em guerra mas ele continua a trabalhar calmamente. Ele é um homem forte”, disse o líder checheno.

    A guerra civil na Síria dura desde 2011 e já causou a morte de mais de 250 mil pessoas, segundo os dados da ONU. O governo sírio luta contra os vários grupos rebeldes e organizações militares, incluindo a Frente al-Nusra e o grupo terrorista Estado Islâmico.

    Mais:

    Assad: Terrorismo em Síria, Iraque recebe apoio direto da Turquia, Arábia Saudita
    Ocidente não está interessado nem em Palmira, nem na paz na Síria
    Tags:
    presidente, Ramzan Kadyrov, Muammar Kadhafi, Saddam Hussein, Bashar Assad, Chechênia, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar