13:33 24 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Presidente russo Vladimir Putin durante o seu encontro com o Secretário de Estado norte-americano John Kerry  em Kremlin, Mosocu, Rússia, 24 de março de 2016

    Kremlin: Putinofobia atinge nível sem precedentes

    © Sputnik / Mikhail Klimentyev
    Mundo
    URL curta
    Panama Papers (31)
    13614

    O Ocidente a priori não pode falar bem da Rússia, disse o porta-voz do presidente russo, Dmitry Peskov.

    “Ao mesmo tempo, com certeza, tais informações propositadamente falsas são, do nosso ponto de vista, destinadas ao consumo interno. É evidente que, no exterior, o grau de Putinofobia atingiu tal nível que, a priori, não conseguem falar bem nem da Rússia, nem das ações da Rússia, nem dos êxitos da Rússia. É preciso falar muito e mal, é preciso falar muito mal e, mesmo quando não há nada para dizer, é preciso inventar algo. Isso também é evidente para nós”, disse Peskov aos jornalistas.

    Mais cedo, Peskov anunciou que o Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos (ICIJ na sigla em inglês) no Ocidente planejava publicar informações falsas sobre o presidente russo, os seus amigos e a sua família.

    “Este produto informacional foi criado e promovido no nosso palco político interno. Este produto alveja o nosso público doméstico. Apesar de que Putin não é mencionado de forma direta, e apesar de que outros países e outros líderes são mencionados, é evidente para nós que o alvo de tais ataques informacionais é o nosso presidente, especialmente no contexto das próximas eleições parlamentares e, no longo prazo, das eleições presidenciais que serão realizadas dentro de 2 anos. E em geral, se calhar, [o alvo é] a estabilidade política no nosso país”, disse Peskov.

    O porta-voz do presidente acrescentou que o Kremlin espera que os ataques contra o presidente russo continuem no futuro.

    O jornal alemão Suddeutsche Zeitung publicou recentemente documentos de uma empresa jurídica panamense, a Mossack Fonseca, que indicam o envolvimento de uma série de líderes mundiais e os seus círculos próximos em esquemas internacionais de corrupção.

    Ao mesmo tempo, a autenticidade dos documentos não foi confirmada por ninguém. Além disso, a empresa Mossack Fonseca declarou que recusa confirmar a sua autenticidade e chamou as ações dos jornalistas de crime.

    Tema:
    Panama Papers (31)
    Tags:
    falsificação, alvo, documentos, Kremlin, Vladimir Putin, Dmitry Peskov, Rússia, Ocidente
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar