03:48 24 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Navios chineses Qiandaohu e Yiyang entram no porto de Gdynia, Polônia, outubro de 2015

    China não quer escalada do conflito com Malásia

    © AFP 2017/ ADAM WARZAWA / PAP
    Mundo
    URL curta
    3228872

    A situação que surgiu entre a China e a Malásia no mar da China do Sul deve ser resolvida no âmbito das negociações bilaterais, disse em entrevista coletiva o representante oficial da chancelaria chinesa Hong Lei.

    Segundo a Reuters, o Ministério das Relações Exteriores malaio convocou o embaixador chinês para esclarecer a situação em torno de navios de pesca chineses que entraram nas águas territoriais da Malásia no mar da China do Sul em 24 de março. A chancelaria convocou o embaixador da China para “receber explicações e expressar a sua preocupação com a situação”.

    Segundo a agência, a chancelaria malaia confirmou a presença de arrastões acompanhados pelo navio da guarda costeira chinesa.

    “Quanto à sua pergunta, as partes têm percepções diferentes desta situação. Consideramos que isso deve ser resolvido, se calhar, por meio de negociações bilaterais”, disse Hong Lei respondendo a uma pergunta do jornalista.

    Segundo Hong Lei, a China e a Malásia são países amigos que historicamente tem se esforçado a resolver disputas através de negociações.

    Mais cedo, o ministro da Defesa Nacional malaio, Shahidan Kassim, disse que cerca de uma centena de navios chineses entraram nas águas territoriais da Malásia na região de recifes Luconia, situada ao norte da ilha Kalimantan. Este local é considerado objeto de litígio, mas a Malásia considera-o como um território seu.

    Tags:
    negociações, águas terriroriais, pesca, navios, incidente, Malásia, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik