15:21 23 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Programa de TV na Coreia do Sul mostra images veiculadas pelo jornal norte-coreano Rodong Sinmun do suposto lançamento submarino de um míssil balístico da Coreia do Norte, ao lado do líder norte-coreano Kim Jong-un, em 9 de maio de 2015

    Mídia: Coreia do Norte lança mais um míssil balístico

    © AP Photo/ Ahn Young-oon
    Mundo
    URL curta
    71710172

    A Coreia do Norte lançou um projétil (provavelmente um míssil balístico) no rumo de mar do Japão na sexta-feira (1), informou a mídia sul-coreana.

    O projétil foi lançado às 13h00 (horário local) a partir de noroestes da Coreia do Norte, informou a agência noticiosa Yonhap citando um oficial sul-coreano.

    É considerado um míssil balístico e os militares sul-coreanos estão analisando a sua trajetória.

    Segundo a Yonhap, o projétil foi um míssil de curto alcance superfície-ar.

    “As Forças Armadas norte-coreanas realizaram um lançamento de um míssil de curto alcance do tipo superfície-ar”, informou a Yonhap citando o chefe do Comitê Conjunto das Forças Armadas da Coreia do Sul.

    As relações entre as duas Coreias se agravaram novamente em 6 de janeiro quando a Coreia do Norte anunciou ter realizado o primeiro teste de uma bomba de hidrogênio. Na reunião extraordinária do Conselho de Segurança da ONU, todos os 15 membros do órgão tomaram a decisão de começar os trabalhos para uma nova resolução sobre a Coreia do Norte. O Conselho de Segurança da ONU admitiu que o país violou quatro das suas resoluções aprovadas entre 2006 e 2013 e que a situação criada ameaça a paz e a segurança internacionais.

    A Rússia também criticou as provocações de Pyongyang, mas alertou para um possível isolamento completo do país, o que, além de prejudicar ainda mais a sua população civil, poderá fechar de vez a perspectiva da resolução político-diplomática do problema nuclear da península coreana.

    Tags:
    mídia, míssil, lançamento, Coreia do Sul, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik