03:41 02 Abril 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    10191
    Nos siga no

    O terrorismo na Síria e no Iraque recebe apoio direto da Turquia, Arábia Saudita, França e Grã-Bretanha, disse o presidente sírio, Bashar Assad à Sputnik.

    "O terrorismo é que é o verdadeiro problema. Devemos lutar contra isso a nível internacional, porque o terrorismo afeta não só a Síria. O terrorismo existe no Iraque. É apoiado diretamente pela Turquia. É apoiado diretamente pela família real governante da Arábia Saudita, bem como por uma série de países Ocidentais, especialmente a França e o Reino Unido", disse Assad.

    "Enquanto outros países atuam, eles estão olhando, observando. Nenhuns trabalhos sérios sobre esta questão estão sendo realizados por eles. Acho que, em relação a estas questões, é um problema muito maior do que o problema dos números reais", adicionou.

    Os refugiados sírios vão começar a regressar para casa quando houver esperança de melhoria da situação

    "Nós começámos a reconstrução da infraestrutura antes do fim da crise, para suavizar, tanto quanto possível, a influência dos prejuízos econômicos e danos na infraestrutura para o povo sírio e, ao mesmo tempo, reduzir o fluxo de migração para fora do país", disse Assad à Sputnik.

    "Talvez alguns queiram voltar quando virem que há esperança de melhoria da situação", acrescentou.

    O presidente observou que a causa da migração é não só o terrorismo e a situação de segurança, mas também o bloqueio e as sanções do Ocidente introduzidos contra a Síria.

    "Muitas pessoas deixaram as áreas seguras onde não há terrorismo por causa das condições de vida. Os cidadãos já não podem abastecer-se de tudo o que é necessário. Então, nós, como Estado, devemos tomar medidas, pelo menos as mais básicos, para melhorar a situação.

    Damasco vai contar com ajuda da Rússia, China e Irã na reconstrução síria

    "Esperamos que o processo conte com os três principais países que têm apoiado a Síria durante esta crise – a Rússia, a China e o Irã. Mas suponho que a série de países que foi contra a Síria, quero dizer, antes de mais os países Ocidentais, tentem envolver as suas empresas a tomar parte neste processo. No entanto, para nós, na Síria, não há absolutamente nenhuma dúvida de que vamos pedir, antes de tudo, aos nossos Estados amigos ", disse Assad.

    Segundo o presidente, é "absolutamente certo de que, se você fizer esta pergunta a qualquer cidadão sírio, a sua resposta, política e emocional, será que damos as boas vindas, em primeiro lugar, às empresas destes três países, principalmente da Rússia".

    O texto completo da entrevista de Assad à Sputnik será publicado no site da Sputnik em março 30-31.

    Mais:

    Assad: Arábia Saudita, Turquia, França e Reino Unido apostam na derrota da Síria
    Político francês causa polêmica ao tirar selfie com Bashar Assad
    Assad: ‘A Síria é um país muito pequeno para ser federado’
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar