02:32 22 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Vista pela ilha Iturup

    Acordo de paz com Rússia é grande esperança do povo japonês

    © Sputnik/ Sergei Krasnouhov
    Mundo
    URL curta
    83970232

    O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, disse que a conclusão do acordo de paz com a Rússia e devolução das ilhas Curilas é o desejo de longo prazo dos japoneses.

    "Devolver ‘os territórios setentrionais’ [como no Japão denominam as ilhas Curilas que fazem parte da Rússia] e concluir um acordo de paz é o desejo de longo prazo do povo japonês. Nós [as autoridades] queríamos realizá-lo enquanto os habitantes originais das ilhas gozam saúde", citou a agência Kyodo o primeiro-ministro japonês durante a sua reunião com estudantes que ocuparam primeiro lugar no concurso dedicado à disputa territorial entre os dois países.

    O Japão e a Rússia nunca assinaram um acordo de paz permanente depois da Segunda Guerra Mundial por causa das divergências sobre a soberania de quatro ilhas (Iturup, Kunashir, Shikotan e Habomai) que a Rússia considera as ilhas Curilas do Sul e o Japão denomina Territórios do Norte.

    O Japão reclama estas ilhas, alegando como base o Tratado Bilateral sobre o Comércio e Fronteiras, assinado com Moscou em 1855.

    Moscou, por seu turno, parte da ideia que as ilhas Curilas do Sul se tornaram parte da União Soviética depois da Segunda Guerra Mundial e que a soberania russa sobre as ilhas não pode ser colocada em dúvida.

    Aviões e helicópteros na Estação Aérea da Unidade Naval de Futenma, Ginowan, província de Okinawa
    © AFP 2017/ TOSHIFUMI KITAMURA
    Em setembro de 2015 o presidente russo, Vladimir Putin e Abe reuniram-se nas margens da Assembleia Geral da ONU acordando iniciar negociações sobre uma resolução mutualmente adequada da disputa territorial.

    Segundo a mídia, Abe pode pagar à Rússia uma visita não oficial no fim de abril do ano em curso ou início de maio e realizar um encontro com Putin.

    Tags:
    esperança, disputa territorial, paz, acordo, Shinzo Abe, Japão, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik