21:10 19 Junho 2018
Ouvir Rádio
    Polonesa segura uma bandeira do país.

    Polônia rechaça imigrantes após atentados de Bruxelas

    © AP Photo / Alik Keplicz
    Mundo
    URL curta
    Explosões em Bruxelas (40)
    3131

    Um dia após os ataques terroristas em Bruxelas, a Polônia sinalizou nesta quarta-feira (23) que não quer mais receber a cota de refugiados que lhe foi atribuída pela União Europeia.

    "Vinte e oito países da União Europeia concordaram em resolver o problema através da realocação, mas vou dizê-lo claramente: não vejo como é possível que haja imigrantes na Polônia nestes momentos", disse a primeira-ministra do país, Beata Szydło, em declaração veiculada na televisão estatal polonesa e citada pela Reuters. 

    Anteriormente, o ministro polonês das Relações Exteriores, Witold Waszczykowski, dissera que a Polônia havia se comprometido a hospedar 7.000 refugiados.

    A declaração da premiê, entretanto, foi feita um dia depois dos atentados terroristas reivindicados pelo Daesh (Estado Islâmico) em Bruxelas. Duas explosões, uma no aeroporto Zaventem da capital belga e, um pouco mais tarde, outra na estação de metrô Maelbeek, deixaram pelo menos 31 pessoas mortas, além de 250 feridos. 

    Tema:
    Explosões em Bruxelas (40)

    Mais:

    Terceiro suspeito do atentado no aeroporto de Bruxelas é detido em Anderlecht
    Quem fez explodir aeroporto de Bruxelas e qual a relação com atentados de Paris?
    Mídia social reage com tristeza e coragem aos atentados de Bruxelas
    Atentados em Bruxelas: 'Nenhum canto do mundo está a salvo', diz Zakharova à Sputnik
    Tags:
    realocação, acordo, refugiados, imigrantes, terrorismo, ataques terroristas, atentados, Estado Islâmico, Daesh, Witold Waszczykowski, Beata Szydło, Bélgica, Zaventem, Maelbeek, União Europeia, Bruxelas, Polônia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik