10:10 16 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Soldados belgas fazem cerco à sede da Comissão Europeia após atentados de Bruxelas

    Polícia belga procura terrorista que pode ter escapado dos atentados de Bruxelas

    © REUTERS/ Vincent Kessler
    Mundo
    URL curta
    Explosões em Bruxelas (40)
    130404

    O procurador federal da Bélgica, Frédéric Van Leo, informou que as câmeras de segurança do aeroporto identificam três prováveis suspeitos pelos atentados desta terça-feira (22), dois dos quais teriam morrido como homens-bomba e um terceiro que, possivelmente, conseguiu fugir do local e está sendo procurado.

    “A foto dos três homens suspeitos foi tirada no aeroporto de Zaventem. Dois deles, provavelmente, se detonaram, o terceiro, vestindo casaco claro e chapéu, está sendo ativamente procurado” – disse o procurador durante uma conferência de imprensa.

    De acordo com o Ministério Público Federal da Bélgica, na tarde de hoje, durante buscas na comuna de Skarbek, em Bruxelas, a polícia encontrou um dispositivo explosivo repleto de pregos e produtos químicos, juntamente com uma bandeira do grupo terrorista Daesh (Estado islâmico).

    Nesta manhã, explosões no aeroporto e no metrô da capital belga provocaram a morte de pelo menos 34 pessoas e deixaram outras dezenas de feridos. A autoria dos atentados foi assumida pelo grupo terrorista Daesh (Estado Islâmico).

    Cerca de 600 voos foram cancelados como medida de precaução, e o procurador federal Frederic Van Leeuw chamou a atenção para a possibilidade de ainda haver dispositivos detonáveis controlados a distância no local. Mais tarde, a imprensa local informou que as autoridades encontraram e neutralizaram novos explosivos no aeroporto de Zaventem.

    Tema:
    Explosões em Bruxelas (40)

    Mais:

    'Vamos atrás deles': Obama diz que manterá campanha contra Daesh após atentados na Bélgica
    Polícia encontra mais explosivos em aeroporto de Bruxelas
    Mídia social reage com tristeza e coragem aos atentados de Bruxelas
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik