09:51 16 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Flores e homenagens às vítimas dos atentados em Bruxelas - 22 de março de 2016

    Mídia social reage com tristeza e coragem aos atentados de Bruxelas

    © AP Photo/ Geert Vanden Wijngaert
    Mundo
    URL curta
    Explosões em Bruxelas (40)
    1358105

    Os ataques terroristas que na manhã de hoje (22) deixaram pelo menos 34 mortos na capital da Bélgica despertaram luto, compaixão e espírito de resistência nas redes sociais no mundo todo, inclusive no Brasil, mas expressaram, acima do ódio e do medo, a determinação cada vez mais clara sobre a necessidade da cooperação ao nível internacional.

    Reivindicados pelo grupo terrorista Daesh (autodenominado “Estado Islâmico), que, tragicamente, já teve ocasião de demonstrar inúmeras vezes o alcance de seus tentáculos para além dos territórios que controla no Iraque e na Síria, os atentados desta terça-feira em Bruxelas seguiram o mesmo padrão que vem sendo adotado pelos jihadistas em suas ofensivas mais recentes no mundo ocidental, a exemplo dos ataques a Paris no ano passado: a escolha de alvos civis e de grande circulação de turistas, de lugares onde o pânico se esparrama mais facilmente para enfraquecer o ânimo dos "inimigos".

    Amigos, hoje vivi um momento daqueles que tentamos entender.... mas é muito difícil. Eu estava no trem do metrô que...

    Posted by Samla E Leo on Tuesday, March 22, 2016

    No entanto, o que se viu nas redes sociais logo após a repercussão dos ataques de hoje na capital belga foram manifestações de luto e cansaço com a humanidade, sim, mas também posturas de desafio, altivez e resistência.

    ​Ao lado de hashtags como #JeSuisBruxelles e #PrayForBelgium, que rapidamente dominaram o trending topics do Twitter, começaram a se multiplicar na rede imagens do “Menino Mijão” de Bruxelas – referência a um símbolo informal da cidade, a estátua de um garotinho de dois anos de idade que supostamente resistiu a um exército estrangeiro invasor nos tempos da Idade Média e que, agora, está virando um símbolo de desafio contra os terroristas.

    ​De acordo com uma lenda, o menino urinou em cima do pavio aceso de uma bomba, evitando que os muros da cidade fossem explodidos em meio à invasão.

    ​Segundo outra versão da história, o garoto urinou em cima das tropas invasoras, do alto dos muros, antes de elas perderam a batalha.

    ​A foto de outro garoto, uma criança refugiada na fronteira entre a Grécia e a Macedônia expressando pesar pelo ocorrido em Bruxelas, também se tornou bastante replicada nas redes sociais nesta fatídica terça-feira.

    ​De todos os cantos, não param de chegar mensagens de solidariedade. 

    Tema:
    Explosões em Bruxelas (40)

    Mais:

    Mogherini sai de coletiva em lágrimas após ataques em Bruxelas
    Junto com o mundo, choramos os mortos em Bruxelas
    Dia trágico em Bruxelas faz 34 mortos
    Tags:
    repercussão, reação, redes sociais, mídia social, ataques terroristas, atentados, Estado Islâmico, Daesh, Bélgica, Bruxelas
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik