04:43 21 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Conta do Twitter de Edward Snowden

    A identidade de Snowden é revelada

    © AFP 2019 / FLORIAN DAVID
    Mundo
    URL curta
    422

    O governo norte-americano revelou acidentalmente um leque de documentos que revelam o nome de uma pessoa que foi procurada três anos atrás, após que uma empresa de segurança de e-mails colaborava com a espionagem de Estado.

    As autoridades dos EUA proibiram a Ladar Levison, dono desta empresa, cujo nome é Lavabit e que agora deixou de funcionar, de revelar a identidade da pessoa.

    Os documentos indicam que a identidade corresponde a Edward Snowden, famoso ex-agente da Agência Nacional de Segurança dos EUA (NSA).

    Na quinta-feira (17), a publicação The Wired informou que as autoridades norte-americanas deixaram um fragmento de informação que mostra que foi Snowden. O seu e-mail foi parar no cache de documentos de processos judiciais e foi publicado através do sistema do tribunal federal, chamado de Pacer, no início de março.

    Edward Snowden
    © REUTERS / Glenn Greenwald/Laura Poitras/Courtesy of the Guardian/Handout via Reuters
    Em maio de 2013 Snowden divulgou uma série de documentos que demonstraram a existência de vários programas de espionagem, que visavam inclusive os cidadãos do país.

    Em junho de 2013, o Bureau Federal de Investigação dos EUA ordenou que Levison concedesse informações sobre as atividades do e-mail de um dos seus clientes.

    Desde aquele tempo, Levison estava lutando para revelar os documentos do processo. Após negociações o governo permitiu ao tribunal publicar as informações do caso, mas sem indicar a identidade da pessoa que foi investigada. Entretanto, o seu e-mail ficou sem mudanças.

    Documento, acidentamente publicado no sistema de Pacer, que mostra o e-mail de Edward Snowden
    Documento, acidentamente publicado no sistema de Pacer, que mostra o e-mail de Edward Snowden

    Tags:
    empresa, casos, espionagem, Edward Snowden, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar