19:07 06 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    10138
    Nos siga no

    Curdos sírios anunciaram a criação de uma região federativa no norte da Síria, informou na quinta-feira (17) a agência de notícias AFP.

    “A região de Curdistão no norte da Síria adotou o sistema federal”, disse o representante do Partido da União Democrática, Sihanok Dibo, depois da reunião na cidade de Rmeilan, no noroeste da Síria.

    Os participantes da conferência anunciaram a criação do sistema democrático de Rojava e Síria do Norte. O representante do partido em Moscou, Abd Salam Ali, disse que os limites da região ainda não estão determinados, agora inclui três cantões curdos e algumas regiões vizinhas.

    “Entretanto, é possível não determinar os limites porque não visamos separar-nos da Síria. O principal neste sistema é o sistema de administração. O sistema federal é a melhor variante para a Síria. Ainda não foi inventado algo melhor, temos muitos exemplos – a Rússia e a Alemanha – são todas federações. É uma alternativa à ditadura anterior e à guerra civil”, disse Ali.

    Damasco chamou a criação da região federativa de ilegal. O governo “avisa contra qualquer tentativa de minar a unidade da Síria e a sua integridade territorial”.

    A Coalizão nacional da oposição síria também não apoiou a ideia.

    “As tentativas de criar quaisquer formações ou regiões separadas privam os sírios de direito de escolha”, diz-se no comunicado da Coalizão nacional.

    Segundo a Reuters, a Turquia ecoou a posição da oposição síria dizendo que os passos unilaterais que se baseiam na etnicidade são inaceitáveis.

    Mais cedo o chefe da missão do Curdistão sírio em Moscou, Rodi Osman, disse que a decisão sobre a federalização é uma resposta ao fato de que os curdos não foram convidados para as negociações sobre a paz na Síria que se realizam em Genebra.

    A conferência em Rmeilan juntou cerca de 200 participantes de todas as regiões do norte sírio. Representavam Rojava, bem como comunidades árabes, assírios, chechenos, turcomenos e outros de várias cidades sírias. Planeja-se que a federação unirá comunidades nacionais e as suas milícias na luta contra islamistas do Daesh, Frente al-Nusra e outros grupos terroristas.

    Algum tempo atrás, o Curdistão sírio proclamou a autonomia que é dirigida pelo Conselho Supremo dos Curdos. Por causa da guerra no território sírio os curdos estão cortados da parte restante da Síria. Damasco não reconhece a autonomia. Agora o governo de Bashar Assad não tem nenhuma influência na região. O Curdistão sírio é habitado por 4,6 milhões de pessoas, 2,5 milhões delas são da etnia curda.

    Tags:
    sistema, curdos, sírios, federalização, Curdistão sírio, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar