06:08 19 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Combatentes peshmerga do Curdistão iraquiano ao lado de uma placa do Daesh (Estado Islâmico)

    Americano desertor do Daesh é capturado por curdos em rota de fuga para a Turquia

    © AFP 2018 / MARWAN IBRAHIM
    Mundo
    URL curta
    3131

    Um cidadão norte-americano que se identificou como um desertor do Daesh (grupo terrorista autodenominado "Estado Islâmico") foi capturado pelas forças curdas depois de conseguir sair do território controlado pelos jihadistas, segundo informou a emissora CBS News nesta segunda-feira (14).

    Duas fontes nas fileiras dos peshmerga disseram ao canal que o suposto desertor foi pego enquanto tentava ir para a Turquia.

    Identificado como Muhammad Jamal Amin, 27 anos, nascido no estado norte-americano da Virgínia, o homem teria sido detido depois de chegar a um posto de controle peshmerga perto da cidade iraquiana de Sinjar.

    ​A emissora citou relatos segundo os quais os curdos inicialmente pensaram que o suspeito que se aproximava era um homem-bomba. Os peshmerga dispararam tiros de advertência contra ele, até que Amin se identificou como um desertor do Daesh e explicou que esteve na região lutando ao lado do grupo extremista “apenas por alguns meses".

    A Embaixada dos EUA em Bagdá não pôde confirmar imediatamente a detenção do cidadão norte-americano, alegando que só recentemente tomou conhecimento do ocorrido.

    Uma autoridade curda disse à CNN que o Conselho de Segurança do Governo Regional do Curdistão estava investigando o incidente.


    Mais:

    Curdistão independente: 'Esperamos que a Rússia apoie nosso referendo'
    Militantes do Daesh caem na sua própria armadilha
    Fonte: Daesh ataca de novo cidade iraquiana de Taza com armas químicas
    Contagem regressiva para a vitória: exército sírio se aproxima do ‘covil’ do Daesh - Raqqa
    Tags:
    terrorismo, desertor, norte-americano, americano, curdos, peshmerga, Estado Islâmico, Daesh, Curdistão, EUA, Virgínia, Sinjar, Turquia, Iraque
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik