18:23 25 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    5324
    Nos siga no

    O presidente dos EUA, Barack Obama, fez duras críticas aos seus aliados europeus e do Oriente Médio classificando-os como ‘oportunistas’.

    Presidente norte-americano Barack Obama discursa no Centro de Comunidade Unida em Wisconsin, EUA, 3 de março de 2016
    © AFP 2021 / MANDEL NGAN
    Em entrevista publicada pela revista The Atlantic, Obama declarou que alguns países da Europa e do Golfo Pérsico são ‘oportunistas’ porque insistem que os EUA se envolvam em complicados conflitos que pouco têm a ver com seus interesses.

    ‘Nas últimas décadas, tem gente que adotou o hábito de nos empurrar para atuar e depois se mostram pouco dispostos a implicar-se”, destacou Obama. 

    Além disso, o líder norte-americano reconheceu o fracasso da intervenção militar na Líbia em 2011, que levou ao fim do governo de Muammar Gaddafi. O presidente observou que alguns países pressionaram os EUA para se envolver.

    "Quando eu olho para trás e me pergunto o que deu errado, há espaço para críticas, porque tinha mais fé que os europeus, dada a proximidade com a Líbia, se envolveriam mais", disse Obama, acusando em particular a França e o Reino Unido de desistir de continuar a operação militar.

    “Agora a Líbia é um desastre”, reconheceu o presidente dos EUA. 

    Obama também defendeu sua decisão de não bombardear posições do regime sírio em 2013. 

    “Estou muito orgulhoso deste momento. O fato de que foi possível conter as pressões imediatas e pensar bem no que era o interesse dos Estados Unidos, não só a respeito da Síria, mas à nossa democracia, foi uma das decisões mais difíceis a ser tomada, e creio que, por fim, foi a correta”, observou. 

    Ao mesmo tempo, o presidente dos EUA disse que a Arábia Saudita deve aprender a conviver com o Irã. Irã e Arábia Saudita estão entre os principais atores na resolução pacífica do conflito na Síria, graças à qual começou a primeira trégua em cinco anos de hostilidades.

    Obama ainda destacou que o Irã durante décadas tem sido considerado um inimigo dos EUA. De acordo com o líder norte-americano, mesmo agora, no contexto da normalização das relações, Washington não pode preferir interesses do Irã aos de seus antigos aliados.

    Mais:

    O que Obama pensa do presidente russo?
    Obama: EUA e Canadá vão trabalhar em conjunto para reduzir fluxo de terroristas
    Netanyahu despreza convite de Obama para ir à Casa Branca
    Obama prorroga sanções contra a Rússia
    Tags:
    EUA, Síria, Arábia Saudita, Irã, Líbia, Barack Obama, intervenção militar, fracasso
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar