21:59 22 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Fuzileiros navais norte-americanos em al-Qaim, perto da fronteira síria, oeste do Iraque

    China acusa soldados americanos de estupro e assassinato

    © AFP 2018 / USMC
    Mundo
    URL curta
    39372

    Pequim condenou nesta quinta-feira o histórico dos Estados Unidos em relação aos direitos humanos, acusando os militares do país de cometerem diversas atrocidades ao redor do mundo.

    O diplomata chinês Fu Cong disse ao Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas que os "EUA conduzem espionagem extraterritorial em larga escala, usam drones para atacar civis inocentes de outros países" e que os soldados norte-americanos em território estrangeiro "cometem estupros" e execuções de populações locais. 

    A condenação chinesa foi dada em resposta às críticas de Washington sobre possíveis abusos cometidos na China, entre os quais estariam a detenção de ativistas dissidentes e advogados. Nesta semana, outros 11 países, incluindo a Austrália e o Japão, se juntaram aos EUA em uma declaração que condena as políticas de Pequim para os direitos humanos. 

    Essa declaração exige que a China pare imediatamente com as suas táticas repressivas, dizendo que as mesmas "violam as próprias leis chinesas e os compromissos internacionais" do país. 

    Mais:

    Ministro chinês: relações entre Rússia e China são à prova de crises mundiais
    Mídia: China envia caças ao Mar do Sul da China
    Tags:
    direitos humanos, Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas, ONU, Fu Cong, Pequim, Austrália, China, EUA, Japão, Washington
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik