04:02 20 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Forças iraquianas libertam os arredores de Ramadi, Iraque, 15 de janeiro de 2016

    Pelo menos 35 pessoas morreram tentando remover minas em Ramadi nos últimos dois meses

    © AFP 2019 / MOADH AL-DULAIMI
    Mundo
    URL curta
    0 05
    Nos siga no

    Três iraquianos morreram hoje durante uma operação de retirada de explosivos deixados por jihadistas na cidade de Ramadi, aumentando para 35 o número de mortes provocadas por essa atividade nos últimos dois meses.

    As vítimas desta segunda-feira eram combatentes tribais que tentavam desarmar as bombas. Segundo o governador da província de Anbar, Sohaib al-Rawi, o grande número de dispositivos como esse espalhados por Ramadi continua sendo um grande obstáculo para o retorno da população à cidade.

    "Nós entendemos a pressão existente para que as pessoas deslocadas internamente retornem às suas casas, mas não vamos permitir um retorno caótico que resulte em mais baixas", afirmou al-Rawi através das mídias sociais.

    De acordo com Omar Khamis al-Dulaimi, um dos líderes das forças tribais que atuam ao lado das forças do governo, só o seu grupo já contabiliza 15 óbitos em decorrência de explosões de minas. 

    Mais:

    Arábia Saudita tenta intimidar Iraque com manobras militares
    Tags:
    bombas, minas, Omar Khamis al-Dulaimi, Sohaib al-Rawi, Al-Anbar, Ramadi, Iraque
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar