02:30 15 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    280
    Nos siga no

    A Hungria está planejando cortar subsídios para refugiados e reduzir radicalmente o espaço disponível em centros de detenção para migrantes, uma medida que, segundo órgãos de defesa dos direitos humanos, tem como objetivo forçar os refugiados a deixarem o país.

    De acordo com um projeto publicado pelo governo nesta segunda-feira, a partir do dia 1 de abril, aqueles que tiverem recebido algum tipo de proteção ou asilo poderão ficar por, no máximo, até um mês nos campos para refugiados, ao invés de dois, como é hoje. E as instalações não poderão ter mais espaço do que há nas penitenciárias nacionais. 

    Seguindo com a sua política de austeridade contra os imigrantes, a Hungria também cortará alguns subsídios destinados aos refugiados, incluindo os fundos para educação daqueles que estão sob proteção do Estado. 

    "A meta principal do aperto é reduzir os subsídios sociais para requerentes de asilo e para aqueles que receberam proteção internacional", afirmou o governo, explicando que isso fará com que muitos migrantes desistam da ideia de ir ao país atrás de uma vida melhor.

    Segundo o escritório nacional de imigração, apenas 508 imigrantes receberam algum tipo de proteção na Hungria no ano passado, incluindo asilo.

    Mais:

    Hungria pode abrir debate para renegociar sanções da UE contra Rússia
    Hungria anuncia referendo sobre cotas de refugiados impostas por Bruxelas
    Para que propõe Erdogan construir cidade de refugiados na Síria?
    Merkel: Europa e Turquia devem dividir responsabilidade pela crise de refugiados
    Operação Sophia: WikiLeaks vaza planos militares da UE contra refugiados
    Tags:
    asilo, imigrantes, refugiados, Viktor Orban, Hungria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar