13:41 12 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Líder norte-coreano Kim Jong-un dirige-se aos cidadãos do país com uma mensagem de parabéns pelo Ano Novo, Pyongyang, Coreia do Norte, 1 de janeiro de 2016

    São reveladas atividades clandestinas da Coreia do Norte na África

    © AFP 2017/ KNS / KCNA
    Mundo
    URL curta
    28305

    A despeito de embargo da ONU, a Coreia do Norte continua as suas atividades considerados como ilegais em muitos países da África, informou o jornal vietnamita Thanh Nien na quinta-feira (3).

    O novo relatório do Conselho de especialistas da ONU que foi publicado no começo desta semana, diz que a Coreia do Norte continua a construção de plantas de produção de munições, venda de armas e treinamento das forças de segurança locais. Em particular, Pyongyang possui 54 plantes de produção de armamentos e desde 1996 realiza comércio de tecnologias para produzir armas.

    Segundo o Conselho dois membros das autoridades namíbias confessaram à ONU que muitas empresas norte-coreanas realizam um grande número de projetos militares na Namíbia. Por exemplo, a construção de planta de produção de munições, colégio militar e base do Ministério da Defesa Nacional namíbio.

    O Conselho destaca que tendo em conta resoluções do Conselho de Segurança da ONU a Coreia do Norte não tem o direito de construir infraestruturas militares.

    De acordo com o Thanh Nien, os norte-coreanos participam da construção de uma planta de munições na cidade de Likasi, no Congo-Kinshasa.

    Além disso, a Etiópia espera que a Coreia do Norte ajude ao país em manter a prontidão militar de sistemas militares e fornecimentos de armamentos de detalhes para tanques e munições.

    A Coreia do Norte presta apoio a muitos países africanos treinando as suas forças policiais e exércitos. Em 2014 treinou 700 policiais da Uganda. Segundo o relatório do Conselho de especialistas da ONU de 2016, em dezembro de 2015 45 cidadãos norte-coreanos chegaram para o país para treinar as suas forças paramilitares.

    Em resposta ao relatório da ONU as autoridades ugandenses afirmaram que as atividades da Coreia do Norte não violam o embargo da ONU. Explicaram que os norte-coreanos treinam especialistas ugandenses de operações de resgate no mar, prestar ajuda médica e passam tecnologias de construção.

    Vice-ministro de Segurança Popular norte-coreano, Ri Song Chol, visita a academia de treinamento de polícia em Kampala, Uganda, junho de 2013
    © AFP 2017/ STRINGER
    Vice-ministro de Segurança Popular norte-coreano, Ri Song Chol, visita a academia de treinamento de polícia em Kampala, Uganda, junho de 2013

    Entretanto, especialistas pensam que a Coreia do Norte, com efeito, presta ajuda aos países africanos em reforçar a sua defesa nacional. Segundo o jornal vietnamita, isso pode levar no futuro a uma situação que a Coreia do Norte será privada dos seus parceiros porque não precisarão mais da sua ajuda.

    Tags:
    construção, produção, cooperação, treinamento militar, ações, ajuda, ONU, Uganda, Etiópia, África, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik