23:13 18 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Ministro das Relações Exteriores russo Sergei Lavrov

    Lavrov: direitos humanos não devem ser pretexto para invasões militares

    © Sputnik / Ilya Pitalev
    Mundo
    URL curta
    8172

    A interpretação pouco honesta das obrigações na área da defesa dos direitos humanos, visando intervir nos assuntos internos dos Estados, é perigosa porque pode desestabilizar vastas regiões, opinou o chanceler russo.

    Segundo o ministro do Exterior da Rússia, é inaceitável usar as questões dos direitos humanos como pretexto para intervir nos assuntos internos de outros países.

    A respetiva declaração foi feita na 31a secção do Conselho de Direitos Humanos da ONU.

    "É inaceitável usar as questões de direitos humanos como pretexto para a interferência nos assuntos internos dos Estados, o que leva à desestabilização de muitos países e regiões inteiras. Vemos uma ameaça séria nas tentativas de interpretar de forma pouco honesta as obrigações que existem na esfera dos direitos humanos, reformar o trabalho da ONU e os seus órgãos sob o lema de uma nova interpretação do conceito de direitos humanos, impor opiniões e valores que não são universais em prejuízo do carácter interestatal da Organização e do princípio de igualdade soberana dos Estados", disse.

    Ainda de acordo com o chanceler, tais tentativas "dificultam o trabalho conjunto, desacreditam os objetivos principais de garantia do respeito dos direitos humanos em todo o mundo".

    O Ministério divulgou recentemente que vê o Conselho de Direitos Humanos da ONU como um orgão muito importante. No âmbito desta organização, Moscou se posiciona "contra a politização dos direitos humanos e imposição, nesta área, de interpretações estreitas das normas internacionais, considerando estas interpretações como se fossem universais".

    © Sputnik .
    Lavrov comenta acordo sobre cessar-fogo na Síria

    Mais:

    Rússia: continuam ocorrendo na Ucrânia graves repressões contra minorias nacionais
    Tags:
    direitos humanos, ONU, Sergei Lavrov, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik