15:45 22 Julho 2018
Ouvir Rádio
    Ativistas sul-coreanos queimam cartazes com retratos do líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, Seul, Coreia do Sul, 11 de fevereiro de 2016

    ‘Programa nuclear norte-coreano levará a um colapso do regime’

    © AFP 2018 / ED JONES
    Mundo
    URL curta
    Crise nuclear das Coreias (56)
    20810

    A Coreia do Sul não tenciona excluir a hipótese de diálogo bilateral com o seu vizinho setentrional mas planeja continuar a pressão sobre Pyongyang até que este cesse o seu programa nuclear, disse o presidente sul-coreano Pak Geun-hye na terça-feira (1).

    Segundo o presidente da Coreia do Sul, o programa nuclear norte-coreano “levará a uma queda do regime da Coreia do Norte” e não à sua prosperidade.

    “Nós e a comunidade internacional continuaremos exercer pressão sobre a Coreia do Norte até que esta mostre a sua lealdade à desnuclearização…Ao mesmo tempo, o nosso governo não fecha a porta ao diálogo”, informou a agência noticiosa sul-coreana Yonhap.

    As relações entre as duas Coreias se agravaram novamente em 6 de janeiro quando a Coreia do Norte anunciou ter realizado o primeiro teste de uma bomba de hidrogênio. Na reunião extraordinária do Conselho de Segurança da ONU, todos os 15 membros do órgão tomaram a decisão de começar os trabalhos para uma nova resolução sobre a Coreia do Norte. O Conselho de Segurança da ONU admitiu que o país violou quatro das suas resoluções aprovadas entre 2006 e 2013 e que a situação criada ameaça a paz e a segurança internacionais.

    A Rússia condenou também as provocações de Pyongyang, mas alertou para um possível isolamento completo do país, o que, além de prejudicar ainda mais a sua população civil, poderá fechar de vez a perspectiva da resolução político-diplomática do problema nuclear da península coreana.

    Tema:
    Crise nuclear das Coreias (56)
    Tags:
    diálogo, colapso, programa nuclear, regime, Coreia do Sul, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik