07:18 20 Janeiro 2018
Ouvir Rádio
    Soldado do exército sírio observa territórios na província de Quneitra

    Após ataque a Damasco, Exército sírio não devolve fogo a pedido da Rússia

    © Sputnik/ Valery Melnikov
    Mundo
    URL curta
    Trégua russo-americana na Síria (85)
    72477

    O Exército sírio, após um pedido do centro russo para reconciliação, não retornou fogo após Damasco ser bombardeada no último sábado, declarou o Ministro da Defesa da Rússia em comunicado neste domingo.

    Segundo o texto, a capital síria de Damasco foi bombardeada seis vezes na manhã de sábado desde as regiões de Ghuta e Jobar, onde a chamada “oposição moderada” está posicionada.

    “As tropas do governo sírio não retornaram fogo a pedido do centro russo para reconciliação”, diz o comunicado.

    Um cessar-fogo entre o governo sírio e forças rebeldes entrou em seu segundo dia e está sendo respeitado, afirmou o chefe do centro de monitoramento do cessar-fogo da Rússia, na base aérea de Hmeymim, em Latakia, neste domingo.

    Na última quarta-feira, soldados russos começaram seu trabalho em um centro de coordenação para reconciliação na província de Latakia, na base aérea de Hmeymim.

    Rússia e Estados Unidos chegaram a um acordo sobre o cessar-fogo na Síria no dia 22 de fevereiro. A trégua entrou em vigor à meia-noite de sábado, no horário de Damasco.

    Na última sexta-feira, pouco antes de o cessar-fogo entrar em vigor, o Conselho de Segurança da ONU adotou de forma unânime a resolução 2238, apoiando o acordo Rússia-EUA sobre o fim das hostilidades na Síria. Grupos terroristas em operação na Síria, como o Daesh e a Frente Nusra, não estão envolvidos no cessar-fogo.

    Tema:
    Trégua russo-americana na Síria (85)

    Mais:

    Rússia registra ataque turco a cidade síria, Ancara desmente
    ONU: violência diminui no primeiro dia do cessar-fogo na Síria
    O quebra-cabeças sírio: como o Ocidente leu Putin errado
    Lavrov e Kerry comemoram início de cessar-fogo
    Tags:
    respeito, pedido, cessar-fogo, bombardeio, Exército da Síria, Ministério da Defesa (Rússia), Rússia, Damasco, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik