19:49 19 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    Trégua russo-americana na Síria (85)
    061
    Nos siga no

    As negociações de paz na Síria têm a data de retomada definida: 7 de março.

    A Sputnik soube de uma fonte da delegação da oposição síria que as Nações Unidas confirmaram a data do reinício das negociações batizadas de Genebra 3 nesta capital europeia. As partes irão sentar de novo à mesa em 7 de março — daqui a uma semana e meia.

    Antes, o enviado especial da ONU para a Síria, Staffan de Mistura, teria "mudado" as negociações futuras para a cidade de Montreux, situada na beira do lago Léman, como Genebra, a capital.

    As conversas de paz, iniciadas em 29 de janeiro, devem marcar uma nova etapa no processo de paz na Síria. Porém, logo depois do início, foram suspendidas por causa da recusa formal de participar por parte do Supremo Comitê para Negociações (SCN, órgão da oposição "exiliada" síria, com sede em Riad, na Arábia Saudita). O SCN alegou que primeiro, era necessário resolver uma série de "assuntos humanitários".

    O resultado foi uma "pausa" nas negociações. Esta "pausa", sempre ameaçada de ser transformada em "fracasso", foi mantida até a quinta-feira, 25 de fevereiro, quando Mistura anunciou que iria informar a data da retomada das negociações na sexta. Além da data, informou o lugar também. Deste modo, Genebra é mantida como a sede da paz.

    Trégua

    As negociações dizem respeito à relação entre as fracções políticas mais destacadas do país. São, essencialmente, duas tendências: a governista e a oposicionista. O conflito entre estas partes começou em 2011, um dos ecos da "primavera árabe". Em 2014, a confrontação foi agravada pela ascensão do grupo terrorista Daesh (inicialmente conhecido como "Estado Islâmico do Iraque e do Levante").

    A Rússia está ajudando o exército sírio a combater as posições do Daesh desde setembro de 2015. Já os EUA encabeçam uma coalizão internacional que combate o Daesh desde 2014. As duas campanhas tiveram certas discrepâncias quanto aos alvos. Na semana passada, Washington e Moscou chegaram a um acordo de trégua — que não se aplica aos terroristas.

    Porém, outro membro da coalizão ocidental, a Turquia, declarou que irá se isentar das obrigações oriundas deste acordo se houver alguma ameaça à sua segurança.

    Tema:
    Trégua russo-americana na Síria (85)

    Mais:

    Obama indica desconfiança ao compromisso da Rússia com o cessar-fogo na Síria
    Obama: Daesh vive crise financeira e de recrutamento na Síria
    E o povo? Pessoas comuns avaliam trégua na Síria
    Tags:
    Síria, Genebra, Staffan de Mistura, ONU, negociações
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar