03:17 19 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    005
    Nos siga no

    Pelo menos uma pessoa morreu e várias ficaram feridas após uma suposta explosão que resultou no desabamento de um prédio na estação de energia de Didcot, a 14 km da cidade de Oxford, em Oxfordshire, no Reino Unido.

    As informações sobre o incidente ainda são imprecisas. Enquanto alguns órgãos de imprensa, incluindo a agência Reuters e a BBC, falam em explosão, outro, como o The Guardian, afirmam se tratar de uma demolição. 

    Segundo o Oxford Mail, metade do edifício principal da central A do complexo, que está para ser demolida, teria desabado após uma explosão acidental na tarde desta terça-feira. Equipes de emergência, acompanhadas de seis ambulâncias e dois helicópteros, foram enviadas ao local.

    Embora o número exato de vítimas ainda não tenha sido oficialmente divulgado, fontes do serviço de controle de incêndio, citadas pelo The Telegraph, confirmaram que há pelo menos um morto, cinco feridos e três desaparecidos. Até o momento, as autoridades não informaram o que pode ter causado a tragédia. 

    Inaugurada em 1968, a estação de Didcot conta com duas centrais de energia, sendo uma de gás natural e uma de carvão. Esta última está desativada desde 2013 e, de acordo com a mídia britânica, seria demolida até o final deste ano.

    Em outubro de 2014, um grande incêndio atingiu as torres de resfriamento da central B de Didcot, danificando seriamente várias estruturas. Na ocasião, no entanto, não houve relatos de vítimas.

    Mais:

    Explosão atinge usina nuclear na Bélgica
    Vazamento de dióxido de nitrogênio em usina obriga a Vale a emitir alerta no Canadá
    Polícia francesa detém suspeito de atentado em usina de gás
    Robô entra pela primeira vez no reator 1 da Central Nuclear de Fukushima
    Tags:
    Inglaterra, Reino Unido, Oxford, Oxfordshire, Didcot, Oxford Mail, Reuters, BBC, The Guardian, The Telegraph, explosão, central energética, acidente
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar