12:39 16 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Mundo

    EUA e Israel realizam um dos maiores exercícios militares conjuntos dos últimos anos

    Mundo
    URL curta
    31415
    Nos siga no

    O serviço de imprensa do Pentágono revelou nesta terça-feira (22) que os EUA e Israel estão promovendo os seus maiores exercícios militares conjuntos na área de defesa aérea dos últimos dois anos.

    Os exercícios, chamados de Juniper Cobra, contam com a participação de cerca de 1,7 mil militares norte-americanos. O seu principal objetivo consiste em desenvolver a interação entre o Comando Europeu dos EUA e as Forças de Defesa de Israel em caso de um ataque por mísseis.

    O comunicado do Pentágono destacou que a “modelagem computadorizada de possíveis ameaças contra Israel” representa um dos grandes destaques do treinamento, excluindo, no entanto, quaisquer informações sobre atividades práticos de combate.

    Os exercícios são realizados regularmente a cada dois anos desde 2001. O Pentágono destacou que os preparativos para esta edição foram iniciados um ano antes e que a sua realização não possui qualquer vínculo com a atual situação na região.

    Barack Obama e Benjamin Netanyahu
    © AP Photo / Pablo Martinez Monsivais, foro de arquivo
    Por sua vez, as Forças de Defesa de Israel frisaram o caráter estratégico da cooperação com os militares norte-americanos.

    “Juntos, nós iremos desenvolver as nossas capacidades de defesa anti-míssil, que serão necessárias para garantir a segurança de Israel em qualquer contexto futuro… É uma parte importante do treinamento tanto para o Comando Europeu, como para as Forças de Defesa de Israel” – destacou em comunicado a entidade israelita.

    Mais:

    'Israel compreende a luta da Rússia'
    Putin elogia cooperação entre militares de Rússia e Israel
    Israel pediu aumento da ajuda militar norte-americana para U$5 bilhões a partir de 2017
    Tags:
    defesa aérea, exercícios militares, Forças de Defesa de Israel, Pentágono, EUA, Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar