16:44 21 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Posto de checagem da autoproclamada República Popular de Donetsk

    Obama defende eleições livres e justas na Ucrânia em conversa com Putin

    © AP Photo/ Darko Vojinovic
    Mundo
    URL curta
    131836152

    O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, destacou em conversa telefônica com o líder russo, Vladimir Putin, a importância de que sejam realizadas rapidamente eleições livres e justas no leste da Ucrânia, informou a Casa Branca através de um comunicado nesta segunda-feira.

    "O presidente sublinhou a importância de se chegar rapidamente a um acordo sobre as modalidades de realização de eleições livres e justas no leste da Ucrânia, de acordo com os padrões da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE)". 

    Segundo o governo norte-americano, a conversa entre os dois chefes de Estado foi realizada a pedido da Rússia, tendo como assunto principal os esforços para se chegar a um cessar-fogo na Síria. No entanto, Putin e Obama aproveitaram para falar também sobre a situação ucraniana e o cumprimento dos acordos de Minsk pelas partes envolvidas. 

    Na última semana, o representante russo na OSCE, Aleksandr Lukashevich, afirmou que um dos maiores problemas para a resolução do conflito ucraniano era o fato de que o Ocidente age como se Kiev estivesse cumprindo a sua parte nos acordos de Minsk, enquanto o governo ucraniano aumenta a capacidade das Forças Armadas e mantém os ataques contra os separatistas de Donbass, incluindo em áreas residenciais.

    Mais:

    Yatsenyuk admite responsabilidade por falhas políticas na Ucrânia
    EUA e Ucrânia coordenam pressão sobre a Rússia
    Maior problema com Kiev: Ocidente finge que Ucrânia cumpre acordos de Minsk
    Embaixador: EUA podem tornar Ucrânia grande exportadora de armas
    Mídia: agora todos sabem quem realmente controla a Ucrânia
    Tags:
    eleições, OSCE, Vladimir Putin, Barack Obama, Aleksander Lukashevich, Ucrânia, Ocidente, Minsk, Donbass, Kiev, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik