09:09 26 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Na semana passada, Pyotr Poroshenko participou da conferência de segurança em Munique

    Ucrânia pretende minar referendo na Holanda usando 'jornalistas locais'

    © AFP 2018 / CHRISTOF STACHE
    Mundo
    URL curta
    1210

    O grupo de hackers ucranianos CyberBerkut divulgou um documento alegadamente emitido pelo Serviço de Inteligência Externa da Ucrânia que insta o presidente Pyotr Poroshenko a sabotar o referendo sobre a associação da Ucrânia à União Europeia.

    O documento, cuja tradução ao russo encontra-se no site do CyberBerkut, é assinado pelo chefe da inteligência ucraniana, Viktor Gvozd, e é, com efeito, destinado ao presidente da Ucrânia.

    "Com o intuito de fomentar os interesses nacionais da Ucrânia, — reza o documento, — para alterar a posição pública da população do Reino dos Países Baixos, sugiro realizar um leque de eventos cujo obejtivo será a sabotagem do referendo. Tendo em conta as possibilidades temporárias limitadas, nós estamos planejando ações ativas que envolvem posições do Serviço [de Inteligência Externa] na comunidade ucraniana dos Países Baixos e nas organizações sociais desse país. Em particular, variantes de suborno de funcionários regionais para burocratizar o procedimento da preparação do referendo".

    O texto do documento cita também "um determinado grupo de jornalistas locais, prontos a começar a criar, seguindo as nossas solicitações, um fundo negativo de informação em torno ao referendo e dos seus organizadores".

    Além disso, "estão sendo elaboradas medidas de pressão (inclusive física) sobre os autores da iniciativa do plebiscito e do seu entorno".

    "Para criptografar as nossas medidas, planejamos agir do nome dos migrantes árabes e usando o lema do respeito dos princípios da tolerância europeia", continua o documento.

    Da esquerda à direita: Andrei Parubiy (Conselho de Segurança e Defesa Nacional), Viktor Gvozd (Serviço de Inteligência Externa) e Valentin Nalivaichenko (Serviço de Segurança da Ucrânia) durante uma reunião do Conselho de Segurança e Defesa Nacional em 2014
    © Sputnik / Nikolai Lazarenko
    Da esquerda à direita: Andrei Parubiy (Conselho de Segurança e Defesa Nacional), Viktor Gvozd (Serviço de Inteligência Externa) e Valentin Nalivaichenko (Serviço de Segurança da Ucrânia) durante uma reunião do Conselho de Segurança e Defesa Nacional em 2014

    CyberBerkut

    A página principal site do CyberBerkut ficou indisponível nesta sexta-feira (19). A mensagem que aparece diz que "o site foi atacado".

    O site do CyberBerkut ficou indisponível em 19 de fevereiro de 2016
    Screenshot: cyber-berkut.ru
    O site do CyberBerkut ficou indisponível em 19 de fevereiro de 2016

    A página com o documento em questão é acessível sem problema.

    Referendo

    A Holanda (outro nome do Reino dos Países Baixos) é o único país-membro da União Europeia a não ter ratificado o acordo sobre a associação europeia da Ucrânia. Estava a ponto de fazer isso, e o governo já assinara o acordo respectivo em 7 de julho de 2015; o rei da Holanda assinou o decreto correspondente em 8 de julho. Porém, uma lei aprovada em 1 de julho prevê a possibilidade da população de apelar contra a decisão aceite pelas autoridades. O que foi feito mais tarde, com uma iniciativa de referendo.

    O referendo é previsto para o dia 6 de abril.

    Mais:

    ‘Atirei na nuca’: Radical ucraniano confessa que matou policiais no Maidan
    Maior problema com Kiev: Ocidente finge que Ucrânia cumpre acordos de Minsk
    Embaixador: EUA podem tornar Ucrânia grande exportadora de armas
    Azarov: ‘Yatsenyuk se demitirá quando Washington quiser’
    Yatsenyuk: fim do confronto em Donbass está muito longe
    Poklonskaya promete punir todos que batiam em crimeanos no Maidan
    Tags:
    referendo, espionagem, Serviço de Inteligência Externa da Ucrânia, Viktor Gvozd, Pyotr Poroshenko, Holanda, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik