23:13 15 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    0121
    Nos siga no

    Os curdos sírios estão abrindo o seu primeiro escritório na Europa e escolheram Praga, capital da República Tcheca, para acolher a sua representação, informou a Televisão Tcheca alegando palavras do porta-voz das milícias curdas, Sheruan Hassan.

    O endereço em Praga da sede não oficial das Unidades de Proteção Popular curdas (YPG), segundo informa a Televisão Tcheca, por razões de segurança é guardado em segredo. A representação pode fornecer ajuda política, material e militar às tropas curdas.

    A República Tcheca foi escolhida não só por causa da sua posição geográfica no centro da Europa.

    “Os povos tcheco e curdo têm muito em comum, temos uma experiência histórica semelhante”, opina Hassan.

    O porta-voz das milícias curdas também sublinhou que os curdos sírios podem ajudar os países europeus no aspeto de estancar a crise migratória.

    “A guerra que conduzimos contra o Estado Islâmico e contra a Frente al-Nusra não é somente a nossa guerra, mas sim a guerra do todo o mundo civilizado”, manifestou Hassan.

    Um dos assessores dos curdos sírios na capital tcheca é um antigo membro do grupo de operações especiais da Polícia Militar da República Tcheca, Lumir Nemec.

    “Tentamos estabelecer contatos com partidos políticos e pessoas influentes que de alguma maneira possam ajudar o povo sírio”.

    Na República Tcheca também será inaugurada uma representação das Unidades Femininas de Proteção (YPJ). Os seus interesses em Praga serão defendidos por uma das comandantes de campo, Iman Al Darvis.

    A República Tcheca apoia os curdos na luta contra o Daesh, inclusive através do fornecimento de armas e munições.

    O grupo terrorista Daesh (proibido na Rússia e reconhecido como terrorista pelo Brasil) autoproclamou-se "califado mundial" em 29 de junho de 2014, tornando-se imediatamente uma ameaça explícita à comunidade internacional e sendo reconhecida como a ameaça principal por vários países e organismos internacionais. Porém, o grupo terrorista tem suas origens ainda em 1999, quando um jihadista da tendência salafita, o jordaniano Abu Musab al-Zarqawi, fundou o grupo Jamaat al-Tawhid wal-Jihad. Depois da invasão norte-americana no Iraque em 2003, esta organização começou a fortalecer-se, até transformar-se, em 2006, no Estado Islâmico do Iraque. A ameaça representada por esta entidade foi reconhecida pelos serviços secretos dos EUA ainda naquela altura, mas reconhecida secretamente, e nada foi feito para contê-la. Como resultado, surgiu em 2013 o Estado Islâmico do Iraque e do Levante, que agora abrange territórios no Iraque e na Síria, mantendo a instabilidade e fomentando conflitos.

    Não há uma frente unida de combate contra o Daesh: contra o grupo lutam as forças governamentais da Síria (com apoio da aviação russa) e do Iraque, a coalizão internacional liderada pelos EUA (limitando-se a ataques aéreos), assim como milícias xiitas libanesas e iraquianas. Uma das forças mais eficazes que combatem o Daesh são as milícias curdas, tanto no Curdistão iraquiano, como no Curdistão sírio.

    Tags:
    República Tcheca, Síria, Curdistão sírio, YPJ, Unidades de Proteção Popular (YPG), sede, escritório, exército, milícia curda
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar