07:15 24 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    1302
    Nos siga no

    Os ataques contra o hospital da organização Médicos Sem Fronteiras e o hospital pediátrico na Síria foram realizados por aviões da base norte-americana, disse o Comitê dos Assuntos Internacionais do Conselho de Federação (câmara alta do parlamento russo), Igor Morozov, na terça-feira (16).

    “Os dados de reconhecimento mostram que os aviões que atacaram estas infraestruturas civis partiram da base aérea dos EUA na Turquia (Incirlik), principal base da coalizão dos EUA e da Turquia”, disse Morozov à RIA Novosti.

    Segundo o senador, trata-se dos dados de controle objetivo do grupo de satélites que monitoriza a situação na Síria de forma permanente e registra os voos de todos os meios aéreos, inclusive drones.

    A MSF informou na segunda-feira (15) que o hospital apoiado pela organização internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) na província de Idlib, localizado na cidade de Maaret al-Nuuman, havia sido atingido por quatro foguetes, mas não tinha pistas de quem estaria por trás do bombardeio, rapidamente atribuído à Rússia pelo primeiro-ministro turco, Ahmet Davutoglu.

    Ao mesmo tempo, o embaixador sírio na Rússia, Riad Haddad, acusou os EUA de atacar o hospital.

    A representante oficial do Ministério das Relações Exteriores russo, Maria Zakharova, disse em entrevista ao canal RT que apesar de os dados sobre as alegadas vítimas intencionais entre a população civil na Síria em resultado de ataques aéreos serem comunicados por entidades ocidentais e estruturas oficiais, estas não podem partilhar nenhumas provas de vítimas ou infraestruturas civis destruídas.

    Zakharova lembrou também um caso em que diplomatas russos foram impedidos de examinar fotografias que “provam” alegados ataques.

    Tags:
    Rússia, Síria, EUA, Maria Zakharova, Médicos Sem fronteiras, ataques, hospital, provas
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar