06:15 26 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Este é o hospital da MSF em Maaret al-Nuuman, destruído em 15 de fevereiro de 2016

    Ataque com quatro mísseis destrói hospital no norte da Síria

    © AFP 2017/
    Mundo
    URL curta
    302908329

    Quatro foguetes atingiram nesta segunda-feira (15) um hospital administrado pela organização internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) na cidade de Maaret al-Nuuman, na província síria de Idlib. Durante o ataque, sete pessoas morreram (entre elas, cinco pacientes) e oito desapareceram.

    Segundo o site da MSF, os mísseis caíram duas vezes, com poucos minutos de intervalo. No momento da publicação, fontes da MSF não sabiam se todos os pacientes restantes permaneciam nos seus locais, já que nem todos respondiam.

    "A destruição deste hospital priva de atendimento médico os cerca de 40.000 pessoas que vivem nesta zona de conflito aberto", disse Massimiliano Rebaudengo, chefe da missão da MSF, citado pelo site.

    "5 pacientes, um enfermeiro e um guarda foram mortos e 8 membros da administração estão desaparecidos e provavelmente mortos", diz esta postagem no Twitter da MSF.

    O culpado pelo ataque ainda não foi identificado, e os Médicos sem Fronteiras não emitem sugestões ao respeito. Porém, dizem, através do Twitter da sua missão na Síria, que "isso parece um ataque deliberado contra uma estrutura da saúde, e nós condenamos este ataque nos termos o mais fortes possível".

    ​Segundo as informações da organização, outro hospital da MSF pode também ter sido atingido.

    Em outubro de 2015, um ataque da aviação da OTAN destruíu um hospital da MSF em Kunduz, no norte do Afeganistão, outro país assolado por uma guerra civil. A desculpa era a alegada presença de militantes do movimento terrorista Taliban, que não foi confirmada depois.

    Mais:

    Kirchner é admirada no mundo árabe por discurso contra os EUA, diz médico do MSF no Iêmen
    EUA se basearam em informações de parceiros afegãos durante ataque a hospital da MSF
    Petição da MSF para investigar bombardeio a hospital afegão recebe 500 mil assinaturas
    Tags:
    saúde, MSF, Médicos Sem fronteiras, Maaret al-Nuuman, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik