13:50 25 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Fragatas ‘Zelyoniy Dol’ (esquerda) e ‘Serpukhov’, da Frota Russa do Mar Negro, baseada em Sebastopol

    Navio de mísseis da Rússia entra no Mediterrâneo rumo à Síria

    © Sputnik/ Maks Vetrov
    Mundo
    URL curta
    Campanha militar antiterrorista na Síria (132)
    2019930825

    A fragata russa Zelioni Dol, equipada com mísseis de cruzeiro Kalibr, entrou nesta segunda-feira (15) no Mar Mediterrâneo com destino à Síria, segundo informou uma fonte diplomática militar.

    Em outubro de 2015, fragatas do mesmo tipo, pertencentes ao projeto Buyan-M, lançaram mísseis contra posições terroristas na Síria a partir do Mar Cáspio.

    "A fragata vai se juntar ao grupo naval russo implantado no Mediterrâneo ao largo da costa da Síria", disse a fonte diplomática à Sputnik, acrescentando que os objetivos do Zelioni Dol não foram divulgados.

    "Mas, dado que ele [o navio] está armado com mísseis de cruzeiro, não se descarta sua participação em uma operação militar", agregou a fonte.

    Anteriormente, uma fonte diplomática disse à Sputnik que a Rússia aumentou seu grupo naval no Mediterrâneo de dez a vinte navios de guerra e embarcações auxiliares.

    As fragatas do Projeto 21631 Buyan-M são navios polivalentes, deslocam 949 toneladas e medem 74 metros de comprimento e 11 de largura, sendo capazes de viajar a velocidades de até 25 nós e de navegar por até 2.500 milhas náuticas sem reabastecer.

    O arsenal da embarcação inclui um canhão A-190 de 100 mm, além dos sistemas de mísseis Kalibr e de mísseis antiaéreos Guibka.

    Tema:
    Campanha militar antiterrorista na Síria (132)

    Mais:

    General alemão: Rússia levará a paz à Síria
    Lavrov e Kerry discutiram cooperação militar Rússia-EUA na Síria
    Rússia desafia supremacia naval dos EUA com mísseis no Cáspio
    Tags:
    Zelioni Dol, navio de mísseis, fragata, navio de guerra, canhão, mísseis antiaéreos, sistemas de mísseis, Projeto 21631, Buyan-M, A-190, Kalibr, Guibka, Mediterrâneo, Síria, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik